Notícias

Morte de 1.300 aves em praia de Lenga no sul do Chile é investigada

Compartilhe:     |  19 de maio de 2015

O Chile investiga a morte de cerca de 1.300 aves que apareceram espalhadas ao longo da praia de Lenga, no sul do país, e que teriam morrido após ficarem presas em redes de pesca ou por uma doença incomum, informou nesta segunda-feira (18) o Serviço Agrícola e Pecuário (SAG) à agência France Presse.

As aves marinhas, da espécie Petrel, foram encontradas mortas no domingo à tarde na praia Lenga, localizada cerca de 550 km ao sul de Santiago, onde “recolheram amostras que foram enviadas para o laboratório da SAG em Santiago para determinar as razões para morte”, disse a agência.

Cerca de 1300 aves marinhas apareceram mortas nesta segunda-feira (18) em praia do Chile (Foto: AFP PHOTO/PAOLO AVILA)Cerca de 1300 aves marinhas apareceram mortas
nesta segunda-feira (18) em praia do Chile
(Foto: AFP PHOTO/PAOLO AVILA)

As aves foram encontradas pelos visitantes ao longo desta pequena praia de areia preta localizada em uma enseada com o mesmo nome, de não mais do que 400 habitantes – a maior parte sobrevivendo da pesca artesanal e do turismo.

O SAG estimou que a morte das aves poderia ter ocorrido por causa de uma doença exótica como a gripe aviária, que não é típica do Chile, ou por imersão, já que podem ter ficado presas em redes de pesca.

As autoridades afirmam que em 2010 também foram encontradas centenas de aves mortas na área e, desta vez, foi determinado que elas morreram após ficarem enredadas nas redes de pescadores.



Fonte: G1



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Educação canina para iniciantes: 5 dicas

Leia Mais