Notícias

Mortes por doenças cardiovasculares ligadas à exposição ao arsênio contido no arroz

Compartilhe:     |  8 de agosto de 2020

O prato nosso de casa dia pode esconder um veneno que, se consumido com frequência ao logo dos anos, pode estar nos levando a um envenenamento em doses homeopáticas.

Pesquisadores da University of Manchester e da University of Salford realizaram um estudo na Inglaterra e no País de Gales, cujo objetivo foi examinar a relação entre consumo de arroz e doenças cardiovasculares ,causadas pela exposição ao arsênio.

Os resultados, publicados na revista Science of the Total Environment, mostram que de fato pode haver uma relação entre um risco aumentado de doenças cardiovasculares com o consumo de arroz, porque este é um alimento que contém vestígios de arsênio inorgânico.

Como David Polya, professor da Universidade de Manchester e coordenador de pesquisa explica:

“O estudo sugere que os 25% maiores de consumidores de arroz na Inglaterra e no País de Gales podem ter riscos maiores de mortalidade cardiovascular devido à exposição ao arsênio inorgânico, em comparação com os 25% menos consumidores de arroz.”

“O tipo de estudo realizado, um estudo ecológico, tem muitas limitações, mas é uma maneira relativamente barata de determinar se há uma ligação plausível entre o aumento do consumo de arroz com arsênio inorgânico e o aumento do risco de doenças cardiovasculares.

“O modelo de aumento de risco é de cerca de 6% (com um intervalo de erro entre 2% a 11%). O modelo também pode refletir em parte uma combinação entre suscetibilidade, comportamento e tratamento dessas comunidades na Inglaterra e no País de Gales com dietas relativamente ricas em arroz.”

O que é arsênio

O arsênio é um elemento químico,  um metaloide amplamente encontrado na Terra em minerais, rochas, solos, água e alimentos.

É um veneno mais conhecido como arsênico, (composto do arsênio chamado trióxido de arsênio, utilizado como raticida) que, se ingerido em certas quantidades e por longos períodos, pode causar sérios problemas de saúde como tumores e doenças cardiovasculares. Os problemas de saúde provocados por este metal depende da quantidade ingerida e outros fatores mas, mesmo a exposição a níveis baixos, também pode ser perigosa, e o consumo regular de arroz poderia ajudar a exceder os limites de segurança.

Comparado a outros alimentos básicos, o arroz tende a concentrar esta substância de tal modo que estima-se que o arsênio inorgânico cause mais de 50.000 mortes prematuras evitáveis por ano.

Como evitar o arsênio

Embora outros estudos sejam necessários para confirmar estes resultados, os autores, considerando os benefícios da ingestão do arroz, sugerem que, em vez de evitar de comer este alimento, que as pessoas tentem variar o cardápio, seja consumindo diferentes tipos de arroz (de preferência os brancos, porque os integrais têm maiores teores por causa da casca), além de variar propriamente a base, trocando o arroz por outros alimentos.

Outras dicas para diminuir a exposição ao arsênio no arroz é lavá-lo bem antes de cozinhá-lo,  deixar de molho da noite pra o dia seria o ideal, enxanguando-o antes de cozinhar. Além disso, cozinhá-lo em água abundante (proporção de 5:1) como se cozinha macarrão, jogando fora o excedente de água.



Fonte: Greenme - Daia Florios



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

“Comida de humanos” pode até matar os pets! Veja os riscos dessa prática

Leia Mais