Notícias

Movimento global incentiva doações e empréstimos ao invés de compras

Compartilhe:     |  1 de maio de 2021

O projeto “Não Compre Nada” cria uma rede entre vizinhos que compartilham itens e serviços.

Quem nunca se viu comprando algo desnecessário para suprir um desejo momentâneo que atire a primeira pedra. A compra por impulso é um erro que todos já cometeram. Hoje se fala muito sobre o consumo consciente que, em resumo, é ter o cuidado de fazer compras com critério – sem excessos ou desperdícios. Mas e se deixássemos mesmo de comprar coisas definitivamente? Parece radical demais, entretanto algumas pessoas já estão colocando em prática esta decisão.

The Buy Nothing Project (O Projeto Não Compre Nada) incentiva vizinhos a doarem e pegarem itens de graça ao invés de comprar algo novo toda vez que precisarem. O movimento começou pela dupla de amigas Rebecca Rockefeller e Liesl Clark em Bainbridge Island, cidade de Washington, nos Estados Unidos. O que era um pequeno experimento hoje já é um movimento que reúne mais de 6 mil grupos.

Em seu site, a dupla expõe uma extensa lista de grupos participantes em várias partes do mundo. Todos os grupos estão no Facebook e a ideia é que cada pessoa se conecte com o que estiver mais próximo. Dentro do grupo são postados pedidos e ofertas de objetos ou serviços. Empréstimos também são permitidos. São vetadas negociações, permutas ou qualquer tipo de arranjo que haja expectativa de presente em troca. Tudo deve ser dado gratuitamente.

Foto: Elena Rouame | Unsplash

As regras dos grupos são simples: “Publique qualquer coisa que você gostaria de dar, emprestar ou compartilhar entre os vizinhos. Peça qualquer coisa que você gostaria de receber de graça ou pedir emprestado. Mantenha a legalidade. Sem incitação ao ódio. Sem compra ou venda, sem negociações ou permutas, somos estritamente uma economia de troca”.

Vivemos em uma economia linear onde se extrai matérias-primas para serem transformadas, consumidas e descartadas. Porém, o mundo já está repleto de coisas que podem ser trocadas e reutilizadas. Iniciativas como esta do “Buy Nothing” não só ajudam a economizar como a criar uma cultura livre de desperdícios.

Menos compras, menos peso

Foto: Sarah Dorweiler | Unsplash

Os excessos deixam as pessoas sobrecarregadas e exaustas. Um estudo revelou que nos primeiros meses da pandemia foram levantadas mais de 26 mil publicações sobre estilo de vida minimalista e essencialista. A crise sanitária fez com que muitas pessoas tivessem mais tempo para entender o que é essencial e importante, consequentemente, tomando consciência de que muitos bens materiais são automáticos em nossa rotina. Confira outros insights.

Outra pesquisa, publicada em 2019, já havia trazido que comprar menos traz mais alegria do que comprar ecológicos. Isso porque foi percebido uma tendência de compra de produtos sustentáveis para suprir o desejo de consumo. “Encontramos evidências de que há um grupo de pessoas que pertencem aos ‘materialistas verdes’, afirma Sabrina Helm, uma das autoras da pesquisa.

Foto: Maude Frédérique Lavoie | Unsplash

Comprar menos e trocar mais é uma meta possível. Comece organizando tudo que você já tem, separe tudo o que não te serve mais e poderia ser útil para outra pessoa. Em seguida busque na sua região projetos como o “Buy Nothing”. Em São Paulo, por exemplo, uma iniciativa similar é o Free Your Stuff São Paulo. Se não encontrar em sua localidade, que tal começar você mesmo? Grupos no Facebook são ótimos para reunir pessoas com interesses em comum. Crie um grupo na rede social que for mais fácil para você, chame os vizinhos e seja um agente ativo da mudança.

Lembre-se: Antes de decidir pela compra de um novo produto, reflita sempre se você realmente precisa dele. Antes do descarte, opte pelo conserto. Antes de uma nova compra, busque o item entre amigos e familiares. Se a compra for essencial, confira se não há disponível o item à venda de segunda mão.

Menos compras significa menos peso – no bolso e na consciência.



Fonte: CicloVivo - Por Marcia Sousa



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Lei que proíbe piercings e tatuagens em animais é sancionada no Distrito Federal

Leia Mais