Notícias

MPT quer fim de sacola plástica, mas supermercados encontram dificuldades

Compartilhe:     |  2 de junho de 2015

O Ministério Público do Trabalho (MPT) informou nesta segunda-feira (1º) que vai tomar medidas para que seja cumprida a Lei nº 8.855/2009 que trata sobre a substituição de sacolas plásticas nos estabelecimentos comerciais da Paraíba, como forma de proteção ao meio ambiente.

A lei foi aprovada em 2009 pela Assembleia Legislativa da Paraíba. Segundo o autor da lei, deputado Ricardo Barbosa (PSB), os estabelecimentos teriam que promover a substituição progressiva das sacolas ou sacos plásticos por sacolas reutilizáveis, ou seja, aquelas confeccionadas em material resistente ao uso continuado, que suportem o acondicionamento e transporte de produtos e mercadorias em geral e que atendam às necessidades dos clientes.

Apesar do anúncio, o MPT não informou o que deverá ser feito para que a lei seja colocada em prática.

O diretor da Associação de Supermercados da Paraíba (ASPB), Cícero Bernardo da Silva, disse ao Portal Correio que ainda não recebeu essa informação do MPT.

Ele falou que já vem trabalhando com os supermercados as melhores formas de adequação à lei estadual, mas encontra dificuldades devido aos hábitos dos consumidores. Segundo Bernardo, os clientes ainda não se adaptaram à ideia de utilização de sacolas retornáveis, o que prejudica a implantação de mudanças.

De acordo com a ASPB, há cerca de 260 supermercados afiliados na Paraíba, mas a Associação explicou que a Receita Estadual contabilizou mais de 7 mil estabelecimentos desse tipo em funcionamento no estado.



Fonte: Portal Correio



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Lei que proíbe piercings e tatuagens em animais é sancionada no Distrito Federal

Leia Mais