Notícias

Municípios do RJ investem em formação sobre desenvolvimento sustentável

Compartilhe:     |  28 de janeiro de 2020

Representantes das administrações municipais, da sociedade civil organizada e do setor privado das cidades fluminenses de Cachoeiras de Macacu, Itaboraí e Maricá reúnem-se em Teresópolis (RJ) até sexta-feira (31) para o Programa Presencial de Capacitação em Territorialização dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável – ODS.

O curso faz parte da segunda etapa do projeto de cooperação técnica Territorialização e Aceleração dos ODS, implementado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) em parceria com a Petrobras. O encontro reunirá 36 pessoas, 12 de cada cidade, ao longo de cinco dias.

Durante o curso, os participantes terão palestras com especialistas no tema, discutirão sobre a análise de indicadores municipais para monitorar o desenvolvimento, farão o mapeamento de atores locais para a construção de parcerias e identificarão políticas e programas para acelerar o desenvolvimento local.

O compartilhamento de projetos e boas práticas, além da análise dos planos plurianuais dos municípios e ações para captação de recursos, também fará parte da formação. Ao término do curso, os participantes serão instruídos a elaborar um plano de trabalho com dez atividades a serem desenvolvidas em 2020, com o apoio técnico de consultores do PNUD. O objetivo é formar um grupo de multiplicadores dos ODS na região.

Para a segunda fase do projeto, foram selecionados 28 municípios, em diferentes regiões do país. Ao longo de 2020, o público-alvo dessas cidades participará do curso e promoverá atividades alinhadas com a implementação da Agenda 2030 e dos ODS.

Com a participação de representantes de diferentes setores da sociedade, o projeto tem o objetivo de formar multiplicadores nas cidades atendidas pela inciativa, de forma a impactar, no longo prazo, o desenvolvimento sustentável local.

“Em 2019, o foco estava nos diagnósticos e cursos introdutórios de nivelamento inicial das informações sobre a Agenda 2030, os ODS e sua relevância para os atores municipais no Brasil. Já no segundo ano, temos como objetivo a formação de uma base de multiplicadores capazes de repassar o conhecimento adquirido para seus colegas e parceiros e elaborar propostas de projetos e soluções inovadoras para os desafios no seu ambiente e, assim, contribuir com o alcance dos ODS”, afirmou a assessora para Desenvolvimento Territorial do PNUD, Ieva Lazareviciute.

“Por isso, o curso tem sessões teóricas intercaladas por muitas atividades práticas, incluindo exercícios, debates e momentos de aprendizado com os colegas. Acreditamos que a experiência e os conteúdos trabalhados ajudarão a fortalecer gestores locais e a estabelecer parcerias entre os setores público e privado para uma colaboração benéfica aos municípios engajados.”

Projeto

Iniciado em 2019, o projeto Territorialização e Aceleração dos ODS já capacitou mais de 2.300 gestores públicos, representantes da sociedade civil e do setor privado dos 116 municípios atendidos pela iniciativa, por meio de um curso online.

Ao longo de dois meses, no segundo semestre de 2019, alunas e alunos aprofundaram os conhecimentos sobre desenvolvimento territorial, alinhamento do planejamento local aos ODS, principais fontes de informação sobre o tema e monitoramento de metas. A quem completou o curso foram fornecidos certificados de participação.

Também em 2019, o PNUD realizou amplo trabalho de consolidação de indicadores dos 116 municípios participantes do projeto para gerar os Diagnósticos Situacionais ODS, documentos que mostrarão aos governos municipais e à sociedade civil o grau de alinhamento dos índices de desenvolvimento local às 169 metas da Agenda 2030.

Paralelamente, também foram elaboradas Avaliações Integradas Rápidas (RIAs) de alinhamento dos 116 Planos Plurianuais aos ODS. Esses documentos analíticos serão entregues e discutidos com todos os municípios ao longo do primeiro semestre de 2020.



Fonte: ONUBr



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

PETA quer banir o uso do termo “animal de estimação” por ser depreciativo para os animais

Leia Mais