Notícias

Não odeie as pombas. Especialistas advertem para que deixemos de tratá-las como pragas

Compartilhe:     |  31 de agosto de 2020

Aqui no Brasil, existe uma visão muito distorcida sobre as pombas, como exemplo, existem cidades que as autoridades públicas lançam campanhas absurdas, visando exterminá-las. A razão atribuída para tal crueldade é que elas causam doenças e, por isso, são consideradas pragas.

Tal justificativa não condiz com a verdadeira realidade dos fatos e, nesta história, as pombas são as vítimas e não as vilãs.

Por isso, neste conteúdo, vamos desmistificar os falsos estigmas e mitos que foram criados colocando em perigo a vida dessas aves.

Em defesa das pombas, existe uma página no Instagram chamada propriamente “Salvem As Pombas”. A página diz: são “Aves LIMPAS, AMISTOSAS, INTELIGENTES e que NÃO CAUSAM DOENÇAS!

Quem é que causa doença mesmo?

Há quem diga que pombas são sujas, causadoras de doenças e, por isso, as tratam como pragas. Em contrapartida, quem tem essa visão provavelmente não leva em conta o lixo espalhado na rua, o chiclete jogado na calçada, o resto de sanduíche deixado no banco da praça, o copo descartável com vestígio de suco largado no chão de uma via pública, todas ações de seres humanos.

Essas atitudes causam e proliferam a sujeira, infectam o meio ambiente, além de atrair aves e animais que, por terem ficado sem os seus habitats naturais, acabam ingerindo lixo e vestígios de alimentos.

Segundo um post do “Grupo de Assistência a Aves Sinantrópicas” no Facebook, em termos científicos, não existe doença específica de pombo pois, se houvesse, estaria catalogada no CID 10–Código Internacional de Doenças.

Além disso, os microrganismos estão em toda parte e, também, no organismo de outros animais e dos seres humanos.

O contágio por doenças associadas às fezes dos pombos está mais atrelado a falta de cuidado com a saúde e a higiene.

Salvem as Pombas!

Para levar esclarecimentos em defesa destas aves, o projeto Salvem as Pombas foi criado pela ativista pelos direitos dos animal, Fernanda Juliana. O projeto tem parceria com a ONG de proteção aos animais, a Soama – Sociedade Amigos dos Animais.

O objetivo é despertar nas pessoas a compaixão e o respeito em relação às pombas, que são tão discriminadas em cidades brasileiras. Essa iniciativa visa fazer as pessoas perceberem que as pombas vêm sendo perseguidas por informações distorcidas.

O extermínio de pombas é cruel e ineficaz

De acordo com um Laudo da Sociedade Brasileira de Infectologia, publicado em 2018, ações de remoção e extermínio de pombas são ineficazes pelos seguintes motivos:

O que dizem as autoridades científicas

Várias autoridades do mundo médico científico se opõe às distorções que são divulgadas sobre as pombas:

“A verdade é que a grande maioria das pessoas têm pouco ou nenhum risco dos pombos para a saúde e provavelmente tem maiores chances de se ser atingido por um raio do que contrair uma doença grave de pombos.“

“Não há evidências que mostram que eles (pombos) espalham doenças “.

“Em 50 anos de trabalho profissional como cirurgião veterinário, não me lembro de um caso de zoonose em um ser humano que estava relcionado a pombos.

“Nós nunca documentamos uma doença transmitida pelas pombas aos humanos no estado do Arizona.”

Medidas profiláticas e preventivas sem crueldade animal

Ainda, de acordo com o Laudo da Sociedade Brasileira de Infectologia, existem formas éticas e sem crueldade de adotar medidas preventivas para combater a proliferação de doenças pelo contato com as fezes das pombas, e até de outros animais, tais como:

Vale acrescentar para quem tem animais de estimação, de não deixar o alimentos de seus pets em locais em que pombas ou ratos possam ter acesso

Responsabilidade Humana

É mais fácil culpar as pombas do que o ser humano assumir a responsabilidade pelo desequilíbrio que ele causa no meio ambiente, com o desmatamento e o excesso de urbanização. Fatores estes que obrigaram estas aves se adaptarem às condições das cidades mas, o que é pior, de serem alvo da ignorância das pessoas.



Fonte: GreenMe - Deise Aur



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

“Comida de humanos” pode até matar os pets! Veja os riscos dessa prática

Leia Mais