Notícias

Nascimento de crocodilos raros traz esperança de sobrevivência da espécie

Compartilhe:     |  12 de setembro de 2018

Imagens compartilhadas publicamente pela primeira vez mostram pequenos filhotes de crocodilos siameses – quase do tamanho da palma de uma mão humana – nos primeiros meses de vida. Três ovos foram incubados em um terreno fértil em Phnom Penh, Camboja, administrado pela FFI e pela Administração Florestal do Camboja.

As fotos são impressionantes por um grande motivo: os crocodilos siameses são classificados como criticamente ameaçados. Estão na “Lista Vermelha” da União Internacional para a Conservação da Natureza. E o nascimento significa que há uma chance de que a espécie sobreviva – ou ao menos postergue em alguns anos a sua completa extinção.

De acordo com informações do jornal Daily Mail, a população selvagem de crocodilos siameses é estimada em apenas 250 indivíduos adultos, que habitam hoje as remotas montanhas do sudeste asiático. E os cientistas e conservacionistas acreditaram por bastante tempo que a espécie já estava extinta na natureza até ser redescoberta durante uma pesquisa conduzida pela FFI.

Reprodução | Express

O gradual desaparecimento da espécie é devido ao mesmo que acomete a maioria dos casos de animais extintos ou criticamente ameaçados: cerca de 99% do seu habitat desapareceu, principalmente pelo ao cultivo de arroz e outras atividades agrícolas, comuns na região asiática em que ele vive.

Mas foi uma explosão na caça destes animais em busca de sua pele o que realmente impactou decisivamente na queda drástica da população. A junção de ambas as atividades, destruição do habitat e a caça desenfreada, não deixaram outra saída a não ser o desaparecimento dos crocodilos siameses.

Reprodução | Express

O nascimento dos 65 filhotes, no entanto, dá uma injeção de ânimo e também esperança para cientistas e conservacionistas. “Este é o resultado de 18 anos de trabalho duro da FFI e de nossos parceiros para proteger e restaurar os crocodilos siameses nesta parte do Camboja”, afirma Jackson Frachette, administrador do programa de criação, em entrevista ao jornal Daily Mail. “Nós realmente construímos sobre essa base sólida e parece que conseguimos virar uma esquina em nossos esforços para trazer essa espécie de volta”, ele completa.

Todos os bebês serão criados em cativeiro por até três anos até atingirem um metro de comprimento. Eles serão grandes o suficiente para se defenderem e serem liberados em áreas protegidas. A FFI pretende duplicar a população selvagem de crocodilos siameses até 2020.



Fonte: Anda



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Lei que proíbe piercings e tatuagens em animais é sancionada no Distrito Federal

Leia Mais