Notícias

O papagaio gigante com força descomunal que viveu na Nova Zelândia

Compartilhe:     |  8 de agosto de 2019

Um papagaio gigante que percorria a Nova Zelândia há cerca de 19 milhões de anos tinha 1 m de altura, segundo um novo estudo – a altura média de um brasileiro gira em torno de 1,73 m.

Os restos do papagaio foram encontrados perto de St. Bathans, em Otago, região no sul da Nova Zelândia.

Dado seu tamanho, acredita-se que o papagaio tenha sido incapaz de voar e ser carnívoro, diferentemente da maioria das aves hoje em dia.

Um estudo sobre essa ave foi publicado nesta semana na revista científica Biology Letters.

Pesando pouco mais de 7 kg, o pássaro teria sido duas vezes mais pesado que o kakapo, o maior papagaio no mundo hoje, também endêmico na Nova Zelândia.

“Não há outros papagaios gigantes no mundo”, disse à BBC o principal autor do estudo, Trevor Worthy, professor e paleontólogo da Universidade Flinders, na Austrália. “Esse achado é muito significativo.”

Os paleontólogos apelidaram a nova espécie Heracles inexpectatus, em alusão a Héracles, nome grego dado ao semideus Hércules da antiga mitologia greco-romana, em razão de seu tamanho e força incomuns.

Os ossos – que inicialmente acreditava-se pertencerem a uma águia ou a um pato – ficaram guardados por 11 anos até o começo deste ano, quando uma equipe de paleontologistas decidiu reanalisá-los.

Worthy disse que um de seus alunos encontrou os ossos do papagaio por acaso em seu laboratório durante um projeto de pesquisa.

Força para rachar ‘qualquer coisa’

O bico do papagaio era tão grande que “poderia rachar qualquer coisa pela frente”, disse Mike Archer, da Paleontologia da Universidade de Nova Gales do Sul (UNSW),

Segundo Worthy, em entrevista à agência de notícias AFP, o papagaio “pode ​​ter comido até outros papagaios”.

O papagaio gigante, batizado de Hércules, tinha quase metade da altura média de um brasileiro — Foto: Divulgação/PA Media

O papagaio gigante, batizado de Hércules, tinha quase metade da altura média de um brasileiro — Foto: Divulgação/PA Media

No entanto, como provavelmente o papagaio não tinha predadores, é improvável que fosse agressivo, disse o pesquisador à BBC. Ele estima que o papagaio gigante se alimentava de sementes e nozes.

Paul Scofield, curador sênior de história natural do Museu de Canterbury, na Nova Zelândia, disse à AFP que os pesquisadores apostam que o animal não conseguia voar.

A descoberta de grandes aves não é incomum na Nova Zelândia, que abrigou a moa, uma espécie extinta cuja altura chegou a 3.6m (11ft8in).

St. Bathans, onde os ossos da perna do papagaio gigante foram escavados, é uma área conhecida por sua abundância de fósseis da época do Mioceno, que se estendeu de 23 milhões a 5,3 milhões de anos atrás.

“Mas até agora, ninguém jamais encontrou um papagaio gigante extinto – em qualquer lugar”, disse Worthy à AFP.

“Temos escavado esses depósitos fósseis há 20 anos e, a cada ano, descobrimos novas aves e outros animais… Sem dúvida, há muitas outras espécies ‘inimaginadas’ a serem descobertas.”



Fonte: G1 - BBC



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Dia das crianças: não dê animal de presente!

Leia Mais