Notícias

O papel das Universidades na implementação dos ODS: o caso da UFPB

Compartilhe:     |  7 de outubro de 2020

Por Henrique Zeferino de Menezes*

Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), aprovados na 70ª Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) em Setembro de 2015, constituíram a maior iniciativa global voltada ao desenvolvimento econômico, social e ambiental, redução da pobreza e das desigualdades e melhoria das condições econômicas e sociais dos povos de forma integrada à promoção dos direitos humanos.  Os ODS se estruturam em 17 objetivos e 169 metas a serem atingidos até o ano de 2030, além de um conjunto de indicadores definidos para monitorar o processo de implementação desse ambicioso compromisso multilateral de desenvolvimento. Trata-se de uma ampla quantidade de temas da maior relevância para a sustentação de estratégias de transformação social, desenvolvimento humano e preservação ambiental, que exigem uma ampla e generalizada mobilização global. Assim, além de organizações internacionais, governos nacionais e sub-nacionais, os mais diversos setores e segmentos sociais devem se comprometer com essa aspiração e contribuir dentro de suas capacidades e limitações com o desenvolvimento sustentável.

Uma característica marcante e inovadora dos ODS é seu caráter indivisível, o que significa pensar os 17 objetivos de forma integrada, considerando que esses se afetam e se reforçam mutuamente. Ou seja, políticas públicas, ações e investimentos aparentemente circunscritos a um dos 17 objetivos podem impactar e produzir efeitos positivos em outras áreas. Um exemplo claro reside na constatação de que investimentos em educação (ODS 4) produzem melhorias nas condições de emprego e renda das pessoas, o que impacta diretamente os ODS 1, ODS 2 e ODS 8, mas também impactam a qualidade da saúde das populações (ODS 3), elevam e promovem a igualdade de gênero (ODS 5), fortalecem a participação política e o acesso à justiça (ODS 16), da mesma forma que diminuem as desigualdade de renda e de oportunidades entre os grupos sociais e indivíduos (ODS 10). Da mesma forma, o aumento da escolaridade e dos níveis educacionais das populações pode levar a melhorias nas condições ambientais e menor degradação do meio ambiente (ODS 6, ODS 13, ODS 14, ODS 15).

A aprovação dos ODS abre, assim, um novo horizonte de discussões sobre o desenvolvimento, da mesma forma que aponta para as limitações e desafios que são (e ainda serão) vivenciados para a sua implementação. As demandas e os desafios perpassam a necessidade de coordenação entre os diversos atores envolvidos na construção das agendas e projetos de desenvolvimento econômico, social e ambiental. Da mesma forma, as políticas públicas adotadas devem espelhar os compromissos assumidos internacionalmente, enquanto traduzem as demandas das populações locais e incorporam em seus desenhos as particularidades e especificidades das localidades.

Nesse contexto, as Universidades e Instituições de Pesquisa têm um papel primordial na trajetória de desenvolvimento do país, assim como terão papel de destaque na implementação dos ODS por meio i) da transformação direta da sociedade com a oferta de educação de qualidade, do compartilhamento de conhecimento e do desenvolvimento de capacidades; ii) do desenvolvimento de projetos voltados à pesquisa científica, além da introdução de novas tecnológicas no mercado; iii) do desenvolvimento de ‘tecnologias sociais’ e colaboração direta com a sociedade com seus projetos de extensão.

A Universidade Federal da Paraíba, como era de se esperar, em suas ações e atividades cotidianas produz conhecimento relevante para os 17 objetivos que compõem a agenda ODS. Por meio das suas atividades de ensino técnico, de graduação e pós-graduação, a UFPB forma indivíduos habilitados e capacitados para fornecer as melhores respostas para os problemas urgentes do desenvolvimento sustentável. O conhecimento científico e tecnológico, fruto dos investimentos realizados e do trabalho dos pesquisadores da universidade, além dos projetos de extensão, que abrem diálogo diretamente com a sociedade, impactam todos os segmentos da sociedade de forma contundente. Temas e problemas como desenvolvimento agrário e sustentabilidade no campo (ODS 2), produção de tecnologias para fornecimento e acesso a água potável (ODS 6), desenvolvimento e produção de medicamentos (ODS 3) e de tecnologias em energias renováveis (ODS 7), a proteção dos ecossistemas marítimo e florestal (ODS 14 e ODS 15), desenvolvimento de programas e projetos de qualificação da educação e igualdade de oportunidades (ODS 4 e ODS 10), apoio na formulação de políticas públicas para combate a pobreza, geração de renda (ODS 1 e ODS 8) são temáticas comuns nos projetos desenvolvidos na UFPB.

Para facilitar a interlocução entre a UFPB a sociedade, a divulgação e disseminação do conhecimento científico e tecnológico desenvolvido na Universidade, recentemente, o Núcleo de Políticas Públicas e Desenvolvimento Sustentável (NPDS) da UFPB lançou o Portal “A Universidade Federal da Paraíba e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável” – ods.ufpb.br. Nele, é possível conhecer e acessar os projetos de pesquisa e de extensão em desenvolvimento na UFPB, a partir da sua vinculação com um dos 17 objetivos que compõem a agenda dos ODS.

*Henrique Zeferino de Menezes é pesquisador e coordenador do Núcleo de Políticas Públicas e Desenvolvimento Sustentável (NPDS/UFPB) – [email protected] – www.ufpb.br/npds



Fonte: Espaço Ecológico



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

“Comida de humanos” pode até matar os pets! Veja os riscos dessa prática

Leia Mais