Notícias

O planeta Terra pode ter se formado já úmido, segundo estudo publicado na revista Science

Compartilhe:     |  4 de setembro de 2020

Uma bola rochosa flamejante que após milhares de anos de sua formação, começou a receber muita água pelo impactos de asteroides. É assim que acreditávamos que o planeta Terra recebeu toda essa água.

Mas um estudo publicado no último dia 27 na revista Science sugere outra coisa. Eles encontraram evidências de que o planeta Terra pode ter nascido já com muita água.

Para chegar a essa conclusão, um grupo de pesquisadores analisaram 13 meteoritos condritos de enstatita. Trata-se basicamente de uma classe de meteoritos semelhantes às rochas espaciais que formaram o planeta Terra.

O sistema solar é formado por poeira espacial remanescente do que um dia foi uma supernova. Essa poeira foi se aglomerando, formando rochas que, dessa forma, mais tarde fundiram-se e formaram planetas.

Planeta Terra, planeta água

Esses meteoritos que os cientistas chamam de condritos de enstatita são compostos por uma grande quantidade de hidrogênio. Esse hidrogênio foi suficiente para formar três vezes a quantidade de água na Terra.

Como a água é formada por hidrogênio e oxigênio (H2O), temos mais da metade da receita. Basta juntar um pouco de oxigênio para produzir uma grande quantia de água.

“Nossa descoberta mostra que os blocos de construção da Terra podem ter contribuído significativamente para a água da Terra”, disse em um comunicado a pesquisadora Laurette Piani, autora principal do estudo.

“O material contendo hidrogênio estava presente no sistema solar interno na época da formação do planeta rochoso, embora as temperaturas fossem muito altas para que a água condensasse”, explica.

Além disso, os cientistas perceberam algo nos mantos de água da Terra. A proporção de deutério na água da Terra e nesses meteoritos é praticamente a mesma.

O deutério é um isótopo, ou seja, uma forma de hidrogênio. Enquanto o hidrogênio possui, em seu núcleo, apenas um próton, o deutério possui um próton e um nêutron. A água com deutério (D2O) chama-se água pesada.

Mudando a nossa concepção

A possibilidade da formação local da água na Terra possui diversas novas implicações. Isso muda um pouco a nossa ideia sobre a formação do planeta Terra.

Os cientistas pensavam que esses blocos que construíram a Terra fossem secos. Isso porque elas vêm do sistema solar interno, ou seja, de perto do Sol. Lá as temperaturas são consideradas altas de mais para a água permanecer nas rochas.

“A parte mais interessante da descoberta para mim é que os condritos de enstatita, que se acreditava serem quase ‘secos’, contêm uma abundância inesperadamente alta de água”, diz Lionel Vacher.

Vacher começou o seu trabalho enquanto fazia o doutorado, na Université de Lorraine, na França. Agora, na Washington University, ele tenta entender a formação de novos meteoritos.

“[Antes do estudo] era comum presumir que esses condritos se formaram perto do Sol”, diz Piani. A existência de tanta água, no entanto, mostra que deve haver outra origem para eles.

“Este resultado implica que esses tipos de condritos forneceram água suficiente para a Terra para explicar a origem da água da Terra, o que é incrível!”, disse Vacher no comunicado.

O estudo foi publicado na revista Science. Com informações de Science News e Washington University.



Fonte: Socientifica - FELIPE MIRANDA



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Gatos: dicas de cientistas para cuidar bem do seu pet

Leia Mais