Notícias

O que acontece com o cérebro de quem usa cogumelos alucinógenos

Compartilhe:     |  5 de julho de 2014

Tem aquela lenda urbana do hippie que tomou chá de cogumelos e nunca mais voltou ao normal. Verdade ou não, o importante é que em um estudo publicado recentemente, cientistas investigam mais a fundo o que acontece com o cérebro humano quando ele está sob efeito da psilocibina, o princípio ativo presente em cogumelos alucinógenos.

Os cientistas analisaram o cérebro de 15 voluntários que tomaram psilocibina em uma solução intravenosa, e também receberam placebo em outro momento. Os pesquisadores descobriram um aumento de atividade nas regiões que, pelo que se sabe, costumam ser ativadas enquanto estamos sonhando. No entanto, a atividade na região associada com raciocínios complexos e auto-consciência parecia descoordenada. No estudo, conexões mais primitivas do cérebro, ligadas ao pensamento emocional, foram ativadas ao mesmo tempo.

De acordo com os cientistas, a descoberta mais importante explica porque usuários de cogumelos alucinógenos costumam descrever a experiência comparando-a a sensação de estar em um sonho. As áreas primitivas do érebro, associadas às emoções e a memória, que foram ativadas durante o uso de psilocibina são também associadas a atividade cerebral durante os sonhos e pareceram funcionar de maneira mais sincronizada e coordenada durante o efeito da droga.

O próximo passo, para os estudiosos, é estudar as possibilidades de usar drogas alucinógenas, como a psilocibina dos cogumelos e o LSD, de maneira terapêutica. Já existem estudos em curso sobre o efeito do LSD sobre a criatividade, e alguns cientistas acreditam no poder da psilocibina parar curar doenças como a depressão, por causa do poder da droga em romper padrões e paradigmas de pensamentos.



Fonte: Revista Galileu - Imperial College of London



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Quetzal: uma ave bela e misteriosa

Leia Mais