Notícias

O que é caxemira e quais são os impactos da sua extração no meio ambiente?

Compartilhe:     |  11 de maio de 2021

Caxemira é um tipo de tecido secular feito a partir do pelo de cabras. Apesar de ser biodegradável, a extração desse tipo de material envolve crueldade animal e impactos ambientais decorrentes da pastagem.

Como é extraída

A caxemira é o pelo das cabras, sendo a proteção natural desses animais. Ela é extraída por meio de tesouras ou tosa, sendo este segundo método o mais rápido. Entretanto, os animais ficam amarrados, se estressam e se machucam bastante.

A forma manual (com tesoura) demora mais, mas as cabras ficam mais calmas e se machucam menos. Após a retirada, o tosão passa por um processo para retirada de resíduos como sebo, terra e folhas.

O processamento remove os fios grossos para aumentar a proporção de caxemira, e o tecido resultante é mais macio. A caxemira é extraída uma vez por ano, e cada animal pode gerar entre 500 gramas e 1,3 kg de caxemira. Dessa forma, é preciso tosar várias cabras para produzir tecido suficiente para uma única peça de roupa. A China é o maior produtor mundial de caxemira bruta, seguida pela Mongólia, Quirguistão e outros países do Oriente Médio.

Impactos ambientais envolvidos

As cabras utilizadas para extrair caxemira não têm muita gordura corporal, por isso precisam de bastante pelos para se protegerem do frio. Se forem tosadas antes que o clima comece a esquentar na primavera, elas podem sofrer muito ou morrer sem essa proteção natural.

A pastagem envolvida na extração de caxemira também pode causar impactos ambientais significativos, especialmente em uma região no sudoeste do Deserto de Gobi — situado na região norte da República Popular da China e região sul da Mongólia — conhecida como Planalto de Alashan.

À medida que a criação de cabras para a extração caxemira cresceu, mais pastores começaram a mudar a criação de camelos para cabras. Devido à diferença nos cascos e hábitos alimentares das cabras, essa mudança tem prejudicado os ecossistemas e o regime hidrológico da região onde esses animais são criados.

As cabras consomem grandes quantidades de vegetação. Além disso, elas consomem até as raízes dos vegetais. As formas de seus cascos também são um problema — ao contrário dos pés largos e mais macios de um camelo, as cabras têm cascos menores e mais afiados que perfuram a superfície do solo.

Conforme a escala do pastoreio de cabras cresce, a combinação desses efeitos começa a degradar as pastagens e acelerar o processo de desertificação. A região tem enfrentado secas e tempestades de areia recorrentes, causando problemas para a vida selvagem local, para as pessoas e até mesmo para as cabras, cujas dietas às vezes precisam ser complementadas com grãos quando não conseguem encontrar grama suficiente para comer.

A poeira desses desertos em crescimento costuma ser carregada para o leste pelos ventos, misturando-se à poluição da queima de carvão na China antes de voar pelo Oceano Pacífico até a América do Norte, uma jornada que pode levar menos de uma semana.

A criação de cabras também teve um impacto negativo sobre os ecossistemas áridos da Mongólia, Índia e planalto tibetano da China, afetando muitas espécies vulneráveis ​​ou ameaçadas de extinção, como saiga, chiru, camelo bactriano, leopardo das neves, khulan e iaque selvagem.

A presença de cabras e animais domésticos deslocam grandes mamíferos, reduzindo suas fontes de alimento e ultrapassando seus limites. A redução da biodiversidade também é resultado de conflitos com pastores, predação de animais selvagens por cães e matanças retaliatórias, de acordo com um estudo publicado na revista Conservation Biology.

Alternativas

A caxemira é biodegradável; no entanto, pode ser difícil rastrear sua origem precisa, quanto mais a sustentabilidade, das roupas de caxemira. E devido ao afluxo de caxemira mais barata da China nas últimas décadas, uma faixa significativa de suéteres acessíveis provavelmente veio de cabras que estão inadvertidamente ajudando a transformar pastagens em desertos.

Apesar da longa história da caxemira, também existem muitas outras fibras que vale a pena considerar. Existem muitos tecidos veganos para escolher, que não são feitos de animais. Estes variam de algodão orgânico, cânhamo e linho a fibra de faia e tecido de soja.



Fonte: Ecycle



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Frio: veterinários indicam cuidados com pets

Leia Mais