Dicas Ecológicas

O que você tem feito em defesa do meio ambiente?

Compartilhe:     |  2 de setembro de 2018

Sociedade tem papel fundamental na preservação da natureza. Pequenas ações no dia a dia podem fazer a diferença

Na Criança & Cia, campanha instiga alunos a abandonar o uso de canudinhos plásticos

Há tempos a preservação do ambiente se tornou essencial para a sustentabilidade do planeta. Diante do consumo desenfreado dos recursos naturais, cabe a cada pessoa o papel de fazer a sua parte. Em pequenas ações, é possível contribuir com o todo e fazer a diferença. Você já pensou onde vão parar todos os canudos consumidos diariamente em todo o mundo? Considerado o novo inimigo da natureza, esse tipo de resíduo prejudica principalmente a vida marinha. Apesar de ter uma vida útil de poucos minutos, os canudos demoram 500 anos para se decompor.

A top model gaúcha Gisele Bündchen, defensora da natureza, recentemente reforçou ao mundo a problemática dos canudos. Localmente, muitas ações visam conscientizar sobre o problema, em empresas, escolas e entidades. Em Santa Cruz do Sul, a Escola Criança & Cia desenvolve desde o primeiro semestre uma campanha permanente para recolhimento de canudos com as turmas de alunos a partir dos 3 anos. Segundo a pedagoga Cristine H. Lowenhaupt, o educandário tem uma tartaruga de estimação que é utilizada como símbolo da luta contra esse tipo de lixo.

No Restaurante Le Chef, o sócio-proprietário Evandro Luís Kist conta que cada vez mais clientes optam por tomar suas bebidas diretamente no copo. Na onda ecológica, atualmente os garçons do estabelecimento deixam os canudos apenas para quem solicita. Outra medida adotada, conforme o empresário, é em relação aos sacos plásticos que envolvem os talheres. “Agora temos as duas opções dispostas no bufê, com e sem saquinho, daí o cliente pode escolher conforme sua convicção”, explica.

Foto: Bruno PedryNo Le Chef, canudo só para quem pedir
No Le Chef, canudo só para quem pedir

Para o engenheiro ambiental Fabrício Weiss, gestor da área ambiental da Unisc, é cada vez mais urgente o consumo consciente. “Temos que começar a pensar e repensar os nossos hábitos”, alerta. Outra questão importante, em seu ponto de vista, envolve as sacolas plásticas, distribuídas aos milhares todos os dias. Em alguns países, como Argentina, Alemanha e Inglaterra, os estabelecimentos cobram dos consumidores por elas, enquanto em outras nações o uso já está proibido. Weiss destaca que, quando as pessoas pagam pelas embalagens plásticas, a tendência é que as utilizem de maneira mais consciente. “Pagando, o usuário irá exigir que o funcionário do estabelecimento encha a sacola com mais produtos. E isso também vale para nossas casas, quando as usamos para descartar nosso lixo doméstico.”

Foto: DivulgaçãoWeiss: repensar os hábitos de consumo
Weiss: repensar os hábitos de consumo

Dicas de proteção ambiental

Lacres e tampinhas valiosos

Com muito valor agregado, os lacres de alumínio e as tampas plásticas são aproveitados por campanhas solidárias de diversas entidades. Atualmente, o Hospital Santa Cruz está em plena mobilização de recolhimento desses itens, por meio da campanha Bem na Tampa. A iniciativa consiste na coleta de tampas plásticas de qualquer tipo (refrigerantes, sorvete, creme dental, margarina, café, produtos de limpeza) e de lacres metálicos de latinhas para, com sua venda, reverter em fundos para a casa de saúde.

Já a ONG Cavalo de Lata, que atua na proteção de cavalos resgatados de maus-tratos e no amparo de famílias de recicladores, lidera a Campanha Tampinha de Lata. Já são mais de 20 pontos de coleta fixos de tampinhas plásticas e mais de 50 pontos em espera.



Fonte: Gazeta - Michelle Treichel



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Lei que proíbe piercings e tatuagens em animais é sancionada no Distrito Federal

Leia Mais