Crônicas e Poesias

O Tempo E A Seca

Compartilhe:     |  26 de abril de 2015

Flávio José

 

 

 

 

 

 

 

Por Flávio José

O riacho não vi mais, cheio

O inverno não voltou

E a seca que ali chegou

Não quis mais se arretirar

Passarinho foi embora

Não sei mais aonde mora

Se ainda sabe cantar

Um antigo cajueiro

Manga rosa e coqueiro

São saudades do lugar

O silêncio é a voz

Lá na casa dos avós

A tristeza foi morar

Não existe cantoria

Vaquejada onde havia

Muito forró prá dançar

Não tem peixe nem anzol

Pescaria futebol

Prado nem se vê falar

Será que o tempo não chora

Quando deixa tudo para trás

Não podendo nunca mais

Tudo que passou passar

ÊIA, ÊIA, ÊIO

ÊIA, ÊIA, ÊIO

Fonte: O povo na luta faz história



Fonte:



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Lei que proíbe piercings e tatuagens em animais é sancionada no Distrito Federal

Leia Mais