Notícias

O tomate é vermelho apenas por acaso, originalmente era roxo

Compartilhe:     |  16 de novembro de 2019

Uma descoberta curiosa sobre o tomate foi feita em dois estudos realizados simultaneamente, um italiano e outro chinês. Originalmente, o fruto não era vermelho, mas roxo!

De acordo com as duas pesquisas, uma mutação aleatória do DNA fez com que o tomate se tornasse vermelho, tal qual o conhecemos hoje. Antigamente, possuía uma casca roxa com estrias que indicavam a grande presença de antocianinas, substâncias antioxidantes (as mesmas que ainda hoje colorem frutas como uvas e amoras).

Para chegar a esse resultado, dois grupos de pesquisa lançaram a hipótese de que o tomate era originalmente roxo. Uma das equipes integra o PlantLab, do Instituto de Ciências da Vida da Scuola Superiore Sant’Anna, e a outra faz parte da Academia Chinesa de Ciências de Beijing. Os resultados dos estudos foram publicados na Plant Communications e na Molecular Plant.

Desde a década de 1970, já havia sido identificada uma variedade de tomate caracterizada pela pele roxa. O cruzamento da chamada Anthocyanin Fruit (Aft) com a Atroviolacea (Atv), levou à criação de um tomate roxo escuro, com uma casca cor de berinjela.

No entanto, as novas pesquisas descobriram que não eram essas variedades de tomate que tinham um “super gene” capaz de lhes dar uma cor forte, mas sim que os tomates modernos perdiam algo em sua genética.

Essa mudança no DNA do tomate ocorreu de maneira casual e, uma vez ocorrida, foi apreciada pela produção moderna do fruto.

Um destino semelhante teve a uva, cujas variedades brancas nada mais são do que mutações que ocorreram a partir das variedades originais, que eram apenas pretas.

Essas duas pesquisas agora poderiam levar à seleção de tomates de variedades mais ricas em antocianinas e, portanto, com maior poder antioxidante.



Fonte: Greenme



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Estresse passa do dono para o cachorro

Leia Mais