Notícias

Oito motivos para o filho estar perto do pai e o que a ciência diz sobre a paternidade

Compartilhe:     |  10 de agosto de 2014

– Ter um pai presente é essencial para que os filhos enfrentem desafios e reconheçam oportunidades de carreira no futuro. Em contrapartida, crianças que conviveram sem os pais tiveram maior dificuldade de finalizar as tarefas do dia a dia. A conclusão é de um estudo da Universidade de Columbia, nos EUA.

– Crianças obesas geralmente têm pais obesos ou acima do peso. Até aqui nenhuma novidade. Mas os pesquisadores da Universidade de New South Wales, na Austrália, quiseram estudar as influências específicas dos gêneros. As descobertas mostraram alteração em 642 genes ligados às células que produzem insulina no corpo dos filhos. A explicação mais provável mostrou que o pai foi o maior culpado. Uma dieta rica em gordura provoca alterações no esperma do homem e isso chega aos filhos.

– Pesquisadores da Universidade da Califórnia (EUA) trouxeram uma boa notícia para os homens que estão para se tornar pais. Quanto melhor é o envolvimento, o carinho e o cuidado do marido com a esposa grávida, melhor é a capacidade dos filhos de aceitar mudanças, como, por exemplo, a adaptação à escola.

– A neurocientista Kelly Lambert, do Randolph-Macon College, nos EUA, notou que, assim como acontece com a mulher, quando o homem se torna pai, o cérebro sofre reestruturação e ganha novos neurônios e conexões, especialmente no hipocampo, parte ligada à memória e ao aprendizado.

– Já se sabe que as mulheres estressadas provocam comportamento semelhante nos filhos. Porém, um estudo da Tufts School of Medicine, nos EUA, descobriu que pais estressados ou depressivos também passam essa condição aos filhos, que podem retransmiti-la à próxima geração.

– O pesquisador norte-americano Michael Lamb descobriu que, embora ambos os pais brinquem com os filhos, as crianças preferem a companhia dos homens. Isso porque eles tendem a ser mais intensos e se entregam mais à fantasia.

– Os pais, assim como as mulheres, são capazes de reconhecer seus próprios filhos pelo toque, mesmo quando não conseguem vê-los ou cheirá-los. Alguns pesquisadores dos anos 1980 mostraram que homens que tiveram apenas seis minutos de contato com seus recém-nascidos conseguiam reconhecê-los apenas por pegar nas mãos dos bebês.

– De acordo com uma pesquisa da Universidade de British Columbia, no Canadá, meninas que veem os pais envolvidos nos trabalhos domésticos costumam ter mais ambições de carreira no futuro. A explicação mais provável é que, ao ver o pai ajudando com a roupa suja e com a louça, as meninas se livram de estereótipos de gênero. Além disso, o estudo detectou que garotas que crescem na presença dos pais começam a puberdade mais tarde e são menos propensas a ter comportamento sexual de alto risco.



Fonte: Revista Crescer



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Como restaurar o equilíbrio intestinal de cães e gatos

Leia Mais