Projetos Ambientais

Orquestra Verde

Compartilhe:     |  22 de março de 2014

Quando pensamos numa Orquestra Verde o propósito é ir além do que os olhos podem ver. Em tempos em que os recursos naturais tornam-se cada vez mais escassos, é preciso reavaliar muitos hábitos cotidianos e ficar mais atento ao que se pode fazer para amenizar o impacto que estamos gerando a natureza. Uma destas formas é a conscientização na hora de adquirir um bem.

Pensando em nossas responsabilidades ambientais, o Guri Consciente – projeto desenvolvido pelos funcionários da organização Amigos do Guri, que visa despertar a consciência da sociedade com base em quatro pilares principais: Meio Ambiente e Sustentabilidade, Saúde, Ética e Diversidade, e Cidadania e Direitos – decidiu formar uma orquestra de cordas dedilhadas composta por doze violões, quatro cavacos e quatro violas caipira feitos com madeira maciça certificada pela Forest Stewardship Council (FSC), organização criada para promover o manejo florestal responsável ao redor do mundo.

“Além de ecologicamente corretos, por serem produzidos com árvores de áreas de reflorestamento, estes instrumentos proporcionam maior qualidade de som, apresentando melhor timbre e projeção sonora”, ressalta José Henrique de Campos, Diretor Educacional do Guri.

O uso dos instrumentos verdes será feito pelo Grupo de Referência de Franca, que interpreta um repertório variado, calcado na música popular brasileira, explorando minuciosidades timbrísticas e o refinamento estilístico do universo erudito.

Saiba mais

Composto por doze violões, seis violas caipira e seis cavacos produzidos com madeira maciça certificada, o grupo de cordas dedilhadas do Guri carrega agora um conceito sustentável, levantando uma reflexão sobre os atuais hábitos de consumo. “A ideia nasceu justamente de poder trazer a pauta da sustentabilidade pra dentro do Guri, a fim de despertarmos a consciência dos alunos, principalmente, sobre a cadeia de produção de cada instrumento/bem de consumo”, explica Ana Maria Wilheim, ex-presidente do Conselho da Amigos do Guri e madrinha do projeto.

Segundo Rubens Gomes, diretor executivo da OELA – Oficina Escola de Lutheria da Amazônia – que produziu os instrumentos “verdes” –, o diferencial desta produção está na rastreabilidade da cadeia. “Com isso, é possível saber a origem da madeira, de onde ela veio, e ter a certeza de que ela não vem de degradação ambiental, de trabalho escravo, de trabalho infantil ou de ações predatórias”, pontua o especialista.

E os atributos destes instrumentos não ficam apenas no âmbito sustentável. Quando falamos em termos técnicos e timbrísticos, a qualidade também é superior. “A gente consegue fazer um trabalho muito mais maduro com os garotos. O GR em si representa um passo de maturidade e isso pede um instrumento que tenha este tipo de resposta. Por isso, é extremamente importante e possível que isso aconteça nos demais Grupos de Referência”, ressalta o Assistente de Instrumento da Amigos do Guri, Luiz Fidalgo.

Os alunos também aprovaram a ideia. Para Lara Nazar Pessoni, “estes instrumentos mostraram um som diferente e outras formas de se usar o violão, como percussão, por exemplo.” Entusiasmado, André completa a colega de grupo: — “Orquestra Verde significa uma renovação de conteúdo, tanto do Guri, quanto do GR. Levar este logo à frente é importante não só pra marca do Projeto, mas também para todos que vão poder nos assistir e ter um mínimo de contato com um tema tão importante”.

Sobre a Orquestra Verde

A Orquestra Verde é mais uma ação do Guri Consciente, projeto desenvolvido pelos funcionários da organização Amigos do Guri, que visa despertar a consciência da sociedade com base em quatro pilares principais: Meio Ambiente e Sustentabilidade, Saúde, Ética e Diversidade, e Cidadania e Direitos.

Projeto Guri

A Amigos do Guri é uma organização social de cultura que, desde 1995, administra o Projeto Guri, programa de educação musical que oferece, nos períodos de contraturno escolar, cursos de canto coral, instrumentos de cordas dedilhadas, cordas friccionadas, sopro, teclados, percussão e iniciação musical, a crianças e adolescentes entre 6 e 18 anos.

De 2004 até hoje, é responsável pela gestão do programa nos mais de 360 polos de ensino do litoral e interior do estado de São Paulo – incluindo os polos da Fundação CASA –, onde mais de 30 mil alunos fazem aulas, por ano. Os demais polos, situados na capital paulista, ficam por conta de outra organização social, o que atende a uma resolução da Secretaria de Cultura do Estado que regulamenta parcerias entre o governo e pessoas jurídicas de direito privado para ações na área cultural.

Além do Governo de São Paulo – idealizador do projeto – a Amigos do Guri conta com o apoio de prefeituras, organizações sociais, empresas e pessoas físicas, para fazer acontecer o maior programa sociocultural brasileiro.

Em 2013, o Projeto Guri comemorou 18 anos de existência, tendo atendido, desde o início, cerca de 500 mil jovens, em todo o estado. Se sua organização está interessada em investir na Amigos do Guri, contribuindo para o desenvolvimento integral de nossos guris, ela tem incentivo fiscal da Lei Rouanet, Programa de Ação Cultural do Governo do Estado de São Paulo (ProAc) e do Fundo Municipal da Criança e do Adolescente (FUMCAD).

Pessoas físicas também podem ajudar! Clique aqui e veja como contribuir com o futuro de milhares de crianças e adolescentes.

Baixe aqui o Estatuto Social da Amigos do Guri

Fonte: Projeto Guri
16.02.2014


Fonte:



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Pet diferente: 10 curiosidades sobre coelhos

Leia Mais