Notícias

Pacto garante novas perspectivas de desenvolvimento sustentável no Cariri

Compartilhe:     |  8 de maio de 2016

Uma experiência positiva e que leva em consideração estratégias de desenvolvimento, gestão compartilhada e ações coletivas, utilizando o potencial humano e material, além da capacidade produtiva de uma região. Esse é o perfil do Pacto de Cooperação Pública e Privada do Cariri Paraibano, conhecido como Pacto Novo Cariri, proposto pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

A gerente do Sebrae em Monteiro, Madalena Arruda, explica que o consórcio intermunicipal Pacto Novo Cariri trabalha o desenvolvimento territorial desde o ano 2000, mas que passou por uma interrupção, sendo retomado no ano passado, com articulações que buscam ações coletivas, como os cinco Encontros de Prefeitos que foram realizados e que já encaminham trabalhos relativos a recursos hídricos e caprinocultura.

“O pacto é um acordo de cooperação pública e privada. São as instituições do poder público, empresas da região do Cariri paraibano e prefeitos que se unem em prol de um plano de desenvolvimento regional. Começamos identificando os pontos fracos e fortes da região. Também nos reunimos com os prefeitos, observando os pontos identificados e traçando metas no planejamento estratégico que a gente chamou de Cariri 2022”, detalha.

Madalena Arruda ressalta que o Pacto Novo Cariri, desde o seu início, já contabiliza muitas conquistas e detém um diagnóstico da região do Cariri paraibano. “Até hoje a gente trabalha no capital social, econômico, ambiental do Pacto Novo Cariri, mas, olhando pra trás, precisamos uma definição sobre o que pretendemos construir com o planejamento estratégico Cariri 2022”, assinala.

Ela acrescenta que, para atender a essa expectativa, já foram realizados cinco encontros, nos quais foram pactuados, por meio de uma rede de cooperação do Cariri paraibano, após divididas as atividades, a construção do plano que vai ser entregue ao governador Ricardo Coutinho, que esteve recentemente entregando obras na região. “O governador esteve aqui na região do Cariri trabalhando todas essas questões, que estão com alguns pontos já avançados. As instituições, prefeitos e rede empresarial já estão com a sua missão, ou seja, com seu plano para desenvolver dentro da região, isso tudo com uma visão de gestão compartilhada”, complementa.

A analista do Sebrae observa que as experiências bem sucedidas de desenvolvimento aconteceram em países que fomentaram parcerias entre estado e mercado. “A gente sabe que vive num país de cultura estadista, onde a maioria das pessoas pensam que as políticas de desenvolvimento são de responsabilidade apenas do poder público. É preciso unir sociedade, mercado e estado, para buscar o desenvolvimento humano, social e sustentável. O Pacto de Cooperação Pública e Privada do Cariri Paraibano está baseado em cima desses três eixos, além de considerar o protagonismo local. Qualquer política de inclusão e promoção do desenvolvimento só terá êxito se tivermos o envolvimento da sociedade”, acentua.

Madalena cita, como exemplo de protagonismo local, a Rede de Turismo Sustentável do Cariri, que foi formalizada recentemente. Trata-se do pacto das empresas com as instituições, em prol do desenvolvimento do turismo cultural do Cariri paraibano. “A gente leva em consideração, e isso é essencial, as potencialidades e as vocações do território. Então, o pacto é feito em cima das vocações regionais e como o Cariri é rico em cultura, um exemplo disso é a Rede de Turismo Cultural. A gente tem também a entrega de um produto importante, a Rota do Cariri Cultural, que vem estruturar, organizar e fortalecer a cadeia de turismo da região”, enaltece.

A gestora informa que o Pacto é integrado 21 municípios do Cariri Oriental e Cariri Ocidental, unificados nas estratégias de desenvolvimento e no acordo de cooperação, embora com necessidades pontuais diferentes, apesar da realidade geográfica do Semiárido ser uma realidade só, no contexto geral e econômico.

“A gente continua trabalhando o pacto dentro das cadeias empresariais e terminando, agora, o trabalho dos prefeitos. A gente consolidou todas as informações, as quais vão ser transformadas em carta para ser entregue, junto com os prefeitos, ao governador. O nosso parceiro principal nesse trabalho é a Associação dos Municípios do Cariri Paraibano (AMCAP). Essa é a verdadeira governança, por que não adianta vir o Sebrae, sem a Amcap, entidade que está segurando esse processo conosco. Também são parceiros, a UFCG, por meio do CDSA de Sumé, as prefeituras, a Emater e outros órgãos que atuam aqui na região”, conclui.



Fonte: Jornal A União - Alexandre Nunes



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Gatos: dicas de cientistas para cuidar bem do seu pet

Leia Mais