Trilhas da Paraíba

Paraíba: o “Caribe” brasileiro

Compartilhe:     |  27 de abril de 2014

Litoral do estado nordestino tem água cristalina e tons verde e dourado quase permanentes

Do alto do Mirante do Dedo de Deus, e cercada por coqueiros de ponta a ponta, a Praia do Coqueirinho (foto) por si só faz valer a ida a João Pessoa. Melhor ainda descobrir, já dentro de suas águas mornas e esverdeadas, que o tato é tão prazeroso quanto a visão. Também em Coqueirinho, o poder da erosão por água e vento tratou de moldar uma das grandes belezas do litoral paraibano.

Também em Coqueirinho, o poder da erosão por água e vento tratou de moldar uma das grandes belezas do litoral paraibano. A maré estava baixa, o que nos permitiu passar pela areia da praia com o buggy em alta velocidade antes de invadir o Castelo da Princesa, feito de argila, em várias cores. Os leigos chamam de cânion, mas o fenômeno em questão é a voçoroca.

O calor parece aumentar e uma leve sensação de sufoco bate quando se está cercado por tais formações rochosas. Ali não faz nenhum barulho se você conseguir ficar apenas um minuto em silêncio.

Na praia naturista mais famosa do Nordeste, Tambaba (foto), é curioso ver a quantidade de pessoas que tentam dar uma espiadinha e pensam duas vezes antes de subir as escadas de madeira que levam ao local onde se despir por completo faz parte da regra. Pode até ser difícil para principiantes ir até a ‘parte B’, o lado nu de Tambaba. Mas a tranquilidade dos vários casais, a maioria de meia idade, e das famílias que se espalham pela areia traz conforto.

Mergulhar durante cerca de duas horas em uma das piscinas naturais menos exploradas da Paraíba já compensaria pela beleza natural, mas há um quê de especial ali que faz a pequena João Pessoa tornar-se referência. A oeste, a cerca de quinhentos metros de onde estamos, fica a famosa Ponta do Seixas, o extremo oriental das Américas, cuja a distância até a África (aproximadamente 3.800 quilômetros) é a menor possível para quem sai do continente.

Ver o sol nascer não é uma exclusividade paraibana, mas poder fazer isso antes do que qualquer outro brasileiro enche de orgulho seus moradores. E de curiosidade quem vem visitar este pedaço do Nordeste. Não por acaso, nossa primeira parada foi o Farol do Cabo Branco, na praia homônima, no litoral sul de João Pessoa. É de lá que se vê, do alto de uma falésia, a Ponta do Seixas por inteiro, em seu contorno perfeito que ajuda a delinear o território nacional.

Não há muitos banhistas na Praia do Amor (foto). Casais ou pessoas à procura de um par, sim. É que reza a lenda que se duas pessoas passarem juntas embaixo do arco de arenito em formato de coração, o amor durará para sempre ou surgirá em breve. Superstição ou não, o fato é que todos que visitam a praia passam por ali. Afinal, não custa nada e mal não há de fazer.

Piscina natural do Seixas (foto) ainda é pouco explorada e uma dos roteiros mais bonitos de João Pessoa.

É preciso sair de João Pessoa e ir até Cabedelo, município vizinho à capital, para encontrar um dos personagens mais populares da Paraíba. Com suas vestes brancas, sandália de couro, um lenço colorido no pescoço e instrumento nas mãos, Jurandy do Sax (foto) é responsável por atrair à Praia do Jacaré centenas de turistas todos os dias. Eles não vão até lá apenas para ver o músico, é verdade, mas é ele quem dá o toque especial ao pôr do sol às margens do Rio Paraíba.

Fonte: MSN – Estadão (Fotos: Hélvio Romero – Estadão)
23.02.2014



Fonte:



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Primeiros socorros: o que fazer quando o seu pet precisa de ajuda

Leia Mais