Notícias

Peças de Lego podem levar até 1.300 anos para se decompor no oceano

Compartilhe:     |  28 de dezembro de 2020

Para realizar a pesquisa, que teve seu resultado publicado no Environmental Pollution, 50 peças de Lego encontradas em uma praia na Inglaterra foram lavadas e pesadas

Um estudo liderado pela Universidade de Plymouth, no Reino Unido, concluiu que uma peça de Lego pode resistir durante 1.300 anos no oceano, poluindo o ecossistema e prejudicando os animais marinhos.

Para realizar a pesquisa, que teve seu resultado publicado no Environmental Pollution, 50 peças de Lego encontradas em uma praia na Inglaterra foram lavadas e pesadas. Os objetos apresentavam desgaste causado pelo tempo.

Testes químicos foram feitos para determinar a idade das peças feitas originalmente de acrilonitrila butadieno estireno (ABS). “As peças que testamos tinham suavizado e descolorido, com algumas das estruturas fraturadas e fragmentadas, sugerindo que, além de peças intactas, elas também podem se transformar em microplásticos”, disse o pesquisador Andrew Turner em nota. As informações são da revista Galileu.

Segundo os pesquisadores, os testes concluíram que as peças encontradas na praia foram fabricadas entre as décadas de 1970 e 1980. A partir dessa constatação e do nível de decomposição dos objetos, eles deduziram que o Lego pode durar de 100 a 1.300 anos no oceano.

“O Lego é um dos brinquedos infantis mais populares da história e parte do apelo sempre foi sua durabilidade. Ele foi projetado especificamente para ser jogado e manuseado, portanto, não é de surpreender que, apesar de estar no mar por décadas, não esteja significativamente desgastado. No entanto, a extensão total de sua durabilidade foi até uma surpresa para nós”, observou Turner.

E embora as peças de Lego sejam pequenas, a empresa comercializa 75 bilhões delas todos os anos. “[Nosso estudo] enfatiza a importância das pessoas descartarem os itens usados ​​adequadamente para garantir que eles não apresentem problemas em potencial ao meio ambiente”, destacou Turner.

A política da empresa fabricante indica que os interessados em se desfazer de seus brinquedos façam doações a outras pessoas ou a instituições de caridade. A Lego afirma ainda que os produtos que não atingem o padrão de qualidade não são jogados fora, já que são triturados e transformados em novas peças. A empresa também relata utilizar materiais descartados para gerar energia e doar brinquedos fabricados em larga escala para entidades.



Fonte: Anda



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Estresse passa do dono para o cachorro

Leia Mais