Notícias

Pecuária provoca danos irreversíveis ao planeta e agrava a fome

Compartilhe:     |  1 de junho de 2016

Um dos argumentos para a existência da pecuária é o fornecimento de alimentos a seres humanos. No entanto, a verdade é que ela realmente limita de diversas a capacidade humana de se sustentar.

No início deste ano, um estudo realizado pela Universidade de Twente da Holanda revelou que o problema da escassez de água do mundo é significativamente mais grave do que os cientistas haviam estimado anteriormente, diz o One Green Planet.

Os autores do estudo descobriram que quatro bilhões de pessoas (dois terços da população humana do planeta – uma estimativa significativamente maior do que o número anterior de 1,7 a 3,1 bilhões de pessoas) “enfrentavam condições severas de escassez de água durante pelo menos um mês do ano.”

Segundo o estudo, um fator extremamente significativo e que gera altos riscos de seca é a agricultura irrigada.

Os países que são altamente dependentes da agricultura animal têm seus recursos extremamente prejudicados e, com isso, cada vez mais pessoas lutam para sobreviver. Poucos países exemplificam essa trágica situação como a África do Sul.

No final de 2015, cinco províncias do país foram consideradas “áreas de desastre” por Sensenzi Zokwana, ministro da Agricultura, Florestas e Pesca.

Em novembro de 2015, a represa Molatedi, localizada no noroeste do país, perto da fronteira com Botswana, funcionava com apenas 5% de sua capacidade.

Atualmente, muitos fazendeiros têm vendido os animais, pois a terra devastada pela seca já não produz a quantidade de alimentos necessários para os animais.Enquanto isso, as pessoas mais pobres da África do Sul enfrentam o aumento dos preços dos alimentos conforme a seca se intensifica.

Somente o milho, um dos principais alimentos da região, registrou um aumento nos preços de 60% entre o final de 2014 e o final de 2015.

No final de abril, estimava-se que a seca destruiu até 90% das produções agrícolas em algumas das áreas mais afetadas da África do Sul e matou pelo menos um milhão de animais.

A África do Sul é apenas um exemplo dos prejuízos causados pela pecuária. No Brasil, comunidades pobres de São Paulo frequentemente enfrentam escassez de água, que é utilizada pela pecuária.

Nos Estados Unidos, a Califórnia também tem passado por período de seca prolongada ao longo dos últimos anos. A agricultura animal consome 93% da água do estado, principalmente em fazendas de laticínios.

Essas fazendas exigem milhões de litros de água para irrigar os pastos, alimentar e hidratar os animais, limpar o chão e remover o sangue e a graxa de equipamentos usados para matar os animais.

Para matar um animal, gastam-se 132 galões de água e como a Califórnia possui cerca 1,8 milhão de vacas leiteiras, não é difícil de adivinhar por que o Estado está em crise.

“Nosso sistema alimentar atual está claramente prejudicado e é incapaz de suprir as necessidades dos sete bilhões de indivíduos que vivem em nosso planeta e muito menos a população de nove bilhões de seres humanos que deve existir até 2050, conforme apontam as projeções”, diz o One Green Planet.

Por isso, é importante compreender que nossas escolhas alimentares são capazes de construir um caminho para um futuro verdadeiramente sustentável.

“Ao escolher alimentos vegetais, você pode ajudar a preservar o precioso abastecimento de água e garantir alimento à crescente população mundial no futuro.”, adiciona o portal.



Fonte: Anda



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

“Comida de humanos” pode até matar os pets! Veja os riscos dessa prática

Leia Mais