Notícias

Pegadas fósseis na Coreia do Sul revelam existência de crocodilos bípedes

Compartilhe:     |  22 de junho de 2020

Uma equipe de pesquisadores da China, da Austrália e dos Estados Unidos descobriu que espécies ancestrais de crocodilos caminhavam sobre as duas patas traseiras — como dinossauros — e mediam mais de 3 metros de comprimento. O estudo foi publicado no último dia 11 de junho na revista Nature.

O paleontólogo Anthony Romilio, da Universidade de Queensland, na Austrália, conta que a equipe analisou pegadas fossilizadas encontradas na Coreia do Sul. Inicialmente, eles pensavam que as marcas seriam de pterossauros, daí a surpresa ao perceberem que eram, na verdade, de crocodilos. “Agora entendemos que essas eram impressões de um crocodilo bípede”, disse Romilio, em nota.

Segundo o pesquisador, as pegadas medem aproximadamente 24 centímetros, sugerindo que as pernas dos crocodilos tinham a mesma altura de pernas de humanos adultos. “E enquanto pegadas estavam por toda parte no sítio, não havia marcas de mãos”, diz ele.

Liderada pelo professor Kyung Soo Kim, da Universidade Nacional de Educação de Chinju, os pesquisadores não demoraram a descobrir que o animal caminhava em pé. “Quando combinado com a falta de marcas de arrasto (iguais às dos crocodilos contemporâneos), ficou claro que essas criaturas estavam se movendo de maneira bipedal”, aponta o professor.

Apesar da grande semelhança com o andar dos dinossauros, esses crocodilos não caminhavam com a ponta dos pés, mas sim com o pé totalmente apoiado no chão — do mesmo jeito que os humanos.

As pegadas sugerem que o animal viveu entre 110 e 120 milhões de anos atrás. “Os rastros fósseis de crocodilos são bastante raros na Ásia, portanto, encontrar uma abundância de quase 100 pegadas foi extraordinário”, finalizou o Dr. Romilio.



Fonte: Revista Galileu



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

“Comida de humanos” pode até matar os pets! Veja os riscos dessa prática

Leia Mais