Notícias

Perfume com aromas do Egito Antigo pode ter sido usado por Cleópatra

Compartilhe:     |  13 de agosto de 2019

Ainda não temos certeza de qual era a aparência exata de Cleópatra, mas arqueólogos podem ter descoberto como ela cheirava — ou pelo menos o odor de seu perfume: uma equipe de especialistas recriou recentemente os aromas mais usados pelas elites do Egito antigo, o que incluiria a famosa monarca.

Durante anos, os arqueólogos Robert Littman e Jay Silverstein, da Universidade do Havaí, nos EUA, encabeçaram escavações em um local chamado Tell-El Timai, que na antiguidade era conhecido como a cidade de Tmuis. Lá era o lar de dois dos perfumes mais conhecidos do mundo antigo: Mendesian e Metopian.

Os arqueólogos descobriram, em 2012, o que eles acreditavam ser a casa de um comerciante de perfumes, que incluía uma área para fabricação de algum tipo de líquido, bem como ânforas e garrafas de vidro com resíduos.

As garrafas não tinham mais cheiro, mas uma análise química com iodo revelou alguns dos ingredientes. Eles levaram suas descobertas a dois especialistas em perfumes egípcios, Dora Goldsmith e Sean Coughlin, que ajudaram a recriar os perfumes seguindo fórmulas encontradas em textos gregos antigos.

A base de ambos os aromas recriados é a mirra, uma resina extraída de uma árvore espinhosa nativa do Chifre da África e da Península Arábica. Ingredientes como cardamomo, azeite e canela foram adicionados para produzir os perfumes antigos, que eram, em geral, muito mais espessos e pegajosos do que os de hoje.

Sabe-se que o líquido cheiroso era popular entre os ricos da Antiguidade – e os pesquisadores estão animados com a possibilidade de Cleópatra ser um deles. “Que emoção é sentir um perfume que ninguém cheira há 2 mil anos e que Cleópatra pode ter usado”, diz Littman em um comunicado da universidade de à imprensa.



Fonte: Revista Galileu



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Projeto de lei ‘Animal não é coisa’ é aprovado pelo Senado

Leia Mais