Notícias

Pesquisa revela que comer pimenta pode aumentar níveis de testosterona

Compartilhe:     |  26 de dezembro de 2014

Foi no Nordeste que mais repercutiu uma pesquisa sobre a pimenta. O repórter José Raimundo foi ouvir a opinião de quem mais entende do assunto: os baianos.

Basta dar uma volta pela feira de São Joaquim, a mais popular de Salvador. Tem para todos os gostos, para os grandes apreciadores e até para quem respeita e morre de medo das mais picantes.

A pimenta de cheiro é levinha, serve só para dar sabor à comida. Agora, a pequenininha e famosa malagueta arde até no cheiro. E há aquelas ainda mais fortes do que a malagueta.

“Esta aqui é a sete molhos. Para o cabra comer tem que ser muito macho, porque, além de arder, queima”, conta um homem.

E não é exagero. Cientistas americanos comprovaram numa pesquisa que comer pimenta muito picante é coisa para macho. Pode até ser, lá nos Estados Unidos, porque na Bahia

“Pimenta não é só feita para macho. É para mulher e para homem. Os dois aguentam do mesmo jeito”, afirma a professora Maria das Dores Andrade.

Outra constatação da pesquisa: os homens que costumam comer pimenta apresentaram níveis mais elevados de testosterona.

Antônio Oliveira (aposentado): Para mim é verdadeiro!
Bom Dia Brasil: Por quê?
Antônio Oliveira: Porque eu estou com 73 anos e não posso ver. Não posso ver. Caio para cima.
Bom Dia Brasil: E é a pimenta, seu Antônio?
Antônio Oliveira: Para mim é a pimenta. Eu não tomo remédio nenhum.

E as mulheres? Há quem sinta poderes afrodisíacos.

“É… Poxa, dá um calor!”, diz uma mulher.

Roquilina dos Santos (cabelereira): Aliás, eu estou evitando comer até pimenta, porque esses tempos eu não estou podendo.
Bom Dia Brasil: Por quê?
Roquilina dos Santos: Para não perder o juízo.

Na Bahia, só não servem pimenta no café da manhã.

Para muitos baianos, a pimenta não é apenas importante, é indispensável, porque quando a comida não está muito boa, ela dá um jeito de melhorar.

Não é o caso do PF de dona Diva, na feira de São Joaquim, que é de qualidade e vem com uma tigela grande com molho de pimenta.

Diva da Silva (cozinheira): Todo dia tenho que fazer duas tigelas de molho de pimenta. Sábado e domingo eu faço três tigelas.
Bom Dia Brasil: E não sobra nada?
Diva da Silva: Não sobra nada.

Na Bahia, homens e mulheres gostam tanto de pimenta que, muitas vezes, no tabuleiro do acarajé, o turista é vítima de uma pegadinha.

“Quer quente ou frio, freguês?”, pergunta a baiana do acarajé.

“O quente aqui é da pimenta. A pimenta é terrível. Saí daqui chorando, mas chorando realmente”, conta o turista Mário Stoppa.

“Agora eu já aprendi: quente sem pimenta!”, afirma outra turista.



Fonte: Bom Dia Brasil



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Estresse passa do dono para o cachorro

Leia Mais