Notícias

Pesquisadores da fauna e flora têm reconhecimento internacional

Compartilhe:     |  17 de setembro de 2014

Pithecia pissinatti, uma das cinco novas espécies de primatas amazônicos anunciados durante o 25º Congresso Internacional de Primatologia, em agosto deste ano. A pesquisadora americana Laura Marshall, responsável pela descoberta, batizou uma das espécies de Pithecia pissinatti, em homenagem ao professor Alcides Pissinatti

Os professores Alcides Pissinati e Adelmar Coimbra foram homenageados nesta terça-feira (16) por projetarem a atividade científica do Brasil no cenário internacional. Em agosto deste ano, durante o 25º Congresso Internacional de Primatologia, no Vietnã, houve o anúncio de cinco novas espécies de primatas amazônicos. A pesquisadora americana Laura Marshall, responsável pela descoberta, batizou uma das espécies de Pithecia pissinatti, em homenagem ao professor Alcides.

O professor Adelmar Coimbra é chamado de pai da primatologia no Brasil e dá nome a um percevejo, um cacto, uma bromélia e um primata. O pesquisador se destacou fazendo estudos de preservação, salvando da extinção três espécies de mico-leão. O professor agradeceu a homenagem e garantiu que vai continuar se empenhando na construção de grupos de trabalho que contribuam para a biodiversidade. “A conservação das espécies de fauna e flora é essencial para a preservação da humanidade”, disse ele.

Na avaliação do primatólogo Alcides Pissinatti, considerado o herdeiro intelectual de Adelmar Coimbra, é uma satisfação e uma responsabilidade dar sequência ao trabalho do professor no Centro de Primatologia do Rio de Janeiro (CPRJ). “Começamos com um trabalho de formiguinha, na década de 1970. Receber o reconhecimento da comunidade científica internacional reforça a certeza da importância de nossas atividades”, avaliou.

Para o secretário estadual do Ambiente, Carlos Portinho, a homenagem é um reconhecimento da importância dos professores para os quadros técnicos do Rio de Janeiro nas pesquisas científicas do Brasil e do mundo. “É um orgulho muito grande para nós trabalhar junto a dois dos maiores nomes da biodiversidade mundial”, disse.

A cerimônia ocorreu no CPRJ, em Guapimirim, região metropolitana do Rio de Janeiro. Administrado pelo Instituto Estadual do Ambiente (Inea), o centro foi fundado por Coimbra e é chefiado por Pissinatti. Guarda 23 espécies e é a primeira instituição mundial voltada exclusivamente à preservação de primatas.



Fonte: Uol



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Cadela cega explorada para reprodução é salva e se torna amiga de menino com deficiência

Leia Mais