Notícias

Pesquisadores debatem estratégias para a conservação de espécies dos Campos Sulinos

Compartilhe:     |  9 de outubro de 2014

O Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Aves Silvestres (Cemave) realizou de 29 de setembro a 01 de outubro, em Florianópolis (SC), a terceira Oficina Anual de Monitoria e a primeira Avaliação Intermediária de Implementação do Plano de Ação Nacional (PAN) para a Conservação dos Passeriformes Ameaçados dos Campos Sulinos e Espinilho.O evento serviu para avaliar a implementação de cada uma das 56 ações vigentes do PAN – promovendo ajustes e revisão de estratégias – e avaliar indicadores sobre a efetividade do Plano para a conservação.

Segundo a analista ambiental do Cemave, Patrícia Serafini, “o PAN Campos Sulinos e Espinilho foi elaborado participativamente propondo ações que visem reduzir o grau de ameaça de quinze espécies de aves sulinas classificadas como ameaçadas pelo Ministério do Meio Ambiente”. Visando a conservação da biodiversidade do bioma, a analista lembra ainda que além das espécies de aves sulinas ameaçadas, também foram incluídas no PAN espécies que vem apresentando grande declínio populacional, quase ameaçadas ou com status de conservação ainda desconhecido que dependem destes ambientes, totalizando no PAN ações de conservação para 22 espécies de passeriformes silvestres.

O evento contou com a participação do grupo assessor estratégico do PAN, pesquisadores e gestores convidados. Vale ressaltar que o PAN Campos Sulinos também se integra ao Plano de Ação Internacional (PAI) que trata da conservação de espécies migratórias associadas aos ambientes de campos naturais na América do Sul. Esta iniciativa está diretamente ligada ao “Memorandum de Entendimiento sobre La Conservación de Especies de Aves Migratórias de Pastizalesdelsur de Sudamerica y de sus Habitats” da Convenção de Espécies Migratórias (CMS) assinado em 2008, pela Argentina, Paraguai, Uruguai, Bolívia e o Brasil. Atualmente, representantes destes países se dedicam a implementar as ações constantes neste PAI elaborado conjuntamente.

Sobre os Campos Sulinos

Os Campos Sulinos compreende um dos sete grandes biomas brasileiros, ocupando uma área de 210 km² na região sul do país. Este bioma possui alta diversidade de espécies vegetais e animais, além de servir de área de reprodução ou invernagem a muitas espécies de aves migratórias. Mas, apesar de possuir uma biodiversidade significativa e singular, é crescente a pressão que tem reduzido, fragmentado e alterado este bioma.

Dentre as sub-regiões dos Campos Sulinos, destaca-se o Espinilho–área que possui árvores com dimensões que podem alcançar três metros de altura, espinhenta e que produz uma pequena cápsula de um centímetro onde estão as sementes, espécie  típica da extremidade oeste do Rio Grande do Sul (RS) – sendo o único ambiente de ocorrência de algarrobos (Prosopisnigra e P.affinis) no Brasil – espécie vegetal ameaçada e de difícil regeneração.Os maiores fragmentos de espinilho totalizam 1.200 hectares e estão localizados no Parque Estadual do Espinilho (RS).

Plano de Ação Nacional

Atualmente o Cemave coordena 15 Planos de Ação Nacional, são eles: PAN Mutum do Sudeste, PAN Albatrozes e Petréis, PAN Pato Mergulhão, PAN Arara Azul de Lear, PAN Mutum de Alagoas, PAN Formigueiro do Litoral, PAN Ararinha Azul, PAN Soldadinho do Araripe, PAN Papagaios da Mata Atlântica, PAN Passeriformes Campos Sulinos, PAN Aves da Caatinga,  PAN Aves Limícolas Migratórias. PAN Aves da Amazônia, PAN Aves do Cerrado e Pantanal e PAN Aves da Mata Atlântica.

As informações sobre as ações de conservação de cada plano podem ser conferidos através do link: http://www.icmbio.gov.br/portal/biodiversidade/fauna-brasileira/planos-de-acao-nacional.html?task=listaPlanoAcao&limitstart=0

Sobre o Cemave

O Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Aves Silvestres (Cemave) é um dos 11 Centros geridos pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), com atuação em todo território brasileiro e sede localizada na Floresta Nacional Restinga de Cabedelo, BR 230, Km 10, município de Cabedelo-Paraíba.

O Cemave coordena um programa nacional de marcação de aves na natureza (Sistema Nacional de Anilhamento de Aves Silvestres – SNA) com anéis numerados (ANILHAS), o maior do gênero na América Latina. Também é responsável pela avaliação do estado de conservação das aves brasileiras e pela elaboração e coordenação de Planos de Ação Nacionais (PAN) que atuam na conservação de aves brasileiras ameaçadas de extinção e das aves migratórias.



Fonte: ICMBio



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

5 coisas horríveis que você não sabia que aranhas podem fazer com você

Leia Mais