Notícias

PETA impõe fim a testes com animais em produtoras de frutas na Califórnia

Compartilhe:     |  6 de junho de 2018

A PETA comemorou o fim de testes que ocorriam com ratos em associações produtoras de morangos e uvas, na Califórnia. Quando as pessoas pensam em experimentos com animais, morangos e uvas não são exatamente sinônimo da tortura. Porém, neste caso, os ratos sofriam múltiplas atrocidades nesses locais.

Diversos fabricantes de morango e ‘uva de mesa’ da Califórnia estavam conduzindo experimentos dolorosos e mortais em ratos. A PETA entrou em contato com as produtoras, com o objetivo de cessar os tormentos e mortes dos animais. Felizmente, os dois conselhos de produção concordaram com a solicitação, e passaram a financiar testes sem animais. Os experimentos realizados eram absurdos e inaplicáveis à saúde humana, mas nenhuma lei criminalizava as cruéis práticas.

PETA apontou que, uma vez que não haja o envolvimento de toxicidade, os estudos podem ser realizados com segurança em seres humanos. Inúmeros estudos clínicos com humanos sobre frutos já foram publicados.

Em experimentos realizados pela Comissão de Morangos da Califórnia, os camundongos recebiam injeções com uma substância química cancerígena e neurotóxica. Também eram forçados a ingerir uma substância que induz uma doença intestinal, e a comer morangos, para que posteriormente fossem mortos e dissecados. A Comissão de Uvas de Mesa da Califórnia financiou testes nos quais camundongos, após ingerirem a fruta, tiveram seus olhos cortados, e neles injetado um herbicida. O procedimento extremamente violento tinha a finalidade de medir as funções oculares do animal antes de ser morto e dissecado.

Após a vitória que instituiu o fim das torturas ocorridas em produtoras de uva e morango, a PETA está trabalhando para acabar testes semelhantes. Produtores de nozes e ameixas secas, na Califórnia, também realizam experimentos perversos em ratos.

Muitos produtores de frutas, e empresas de alimentos, concordaram em terminar os testes com animais após discussões com PETA. Entre elas, o Conselho Nacional de Framboesa Processada e a Comissão de Framboesa Vermelha de Washington, General Mills, Barilla, The Coca-Cola Company, House Foods, Kikkoman, Lipton, Ocean Spray, POM Wonderful LLC e Welch’s. A organização se compromete a continuar trabalhando até que todas as experiências em animais acabem.

Para ajudar os camundongos, você pode clicar aqui para assinar um petição. Ela pede ao Instituto Nacional de Saúde o fim do financiamento dos violentos experimento. Ao invés disso, cobra que o dinheiro vá para o desenvolvimento de métodos de teste que não envolvam animais.



Fonte: ANDA - Paula Borim



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Lei que proíbe piercings e tatuagens em animais é sancionada no Distrito Federal

Leia Mais