Artigos

Plantando intenções

Compartilhe:     |  31 de janeiro de 2015

Crédito: Lily/FotoliaPara me transformar na melhor versão de mim mesma, o que é preciso cultivar?

Por Andrea Zenóbio Gunneng

Uma das tarefas do curso “Ciência da Felicidade”, promovido pelo centro de pesquisa “Bem Maior – A Ciência de Uma Vida Significativa” (Greater Good – The Science of a Meaningful Life), da Universidade da Califórnia em Berkeley (EUA), consiste em que você imagine a melhor versão de você mesmo. Para isso, é preciso escrever um texto, usando o tempo presente, para descrever a visão que lhe vem do coração.

O desafio é sentar, aquietar a mente e o coração e imaginar: qual é a melhor versão de mim? Não confundir com metas e objetivos, que têm as suas manifestações expressadas no mundo exterior. A melhor versão da minha pessoa implica em movimentos que se registram internamente – na alma, no jeito de ser, de relacionar, nas minhas escolhas.

Para me transformar na melhor versão de mim mesma, o que é preciso cultivar? Primeiro, é preciso saber o que eu quero que cresça no jardim da minha vida. Somente sabendo responder a essa questão, “o que eu quero que germine” é que posso saber quais sementes escolher, plantar e aguar. E nutrir sempre para que floresçam, e o meu jardim se torne a melhor expressão de mim!

Nós somos hoje a soma de todos os pensamentos, experiências e afetos que foram sendo acumulados ao longo dos anos. O futuro não é diferente; só que ao inverso. Lá na frente, em 10 anos, seremos tudo aquilo, mais o que a partir de hoje plantarmos e regarmos diariamente em nossas vidas.

É aí que se encontra a possibilidade de escolha: em qual direção você deseja conduzir sua vida. É como plantar sementes.

Se cultivarmos intenções de ganância ou ódio, o sofrimento inerente a esses estados vai brotar. E a expressão desse sofrimento se dará já no presente, enquanto estamos atuando, como também no futuro, sob a forma de hábitos reforçados, tensões e lembranças dolorosas. Por outro lado, se você nutre intenções de amor ou generosidade, a alegria e o “espaço” inerentes a esses estados se tornam uma parte frequente em sua vida.

As intenções são às vezes chamadas de sementes, porque o jardim que você cultiva é composto essencialmente das sementes que você planta e agua. Aqui, no presente. E que irão florescer, crescer, amadurecer e solidificar.

Isso quer dizer que, além de cultivar as sementes que irão culminar na melhor versão de você mesmo, é preciso também – e com muita atenção – escolher, plantar e cultivar as sementes para a melhor versão idosa de você.

Escutando as histórias de meus amigos sobre como seus pais estão agindo, ou mesmo a minha história pessoal, como meus pais vivem hoje, como se comportam na vida, constato que nos tornamos aquilo que reforçamos durante períodos de tempo, alguns anos, décadas e até outros hábitos de uma vida inteira.

Encante-se pela melhor versão de você mesmo. E a reforce, todos os dias, com muito carinho. Ao acordar, antes de abrir os olhos, tinja seu dia com uma gota de intenção. Dessa maneira, inclina-se a mente a seguir naquela direção. Fica lançada ali uma semente… que germina já a partir do ato da intenção.

Daí o tema “Intenção” para a primeira edição da Ecológico em 2015. Inícios de mais um novo ciclo são momentos muito especiais. É como se nos fosse dada mais uma oportunidade, dentro do processo, de nos tornarmos a melhor versão de nós mesmos.

Em 2015, semeie seu coração! Plante suas intenções.

Fonte: Revista Ecológico

 



Fonte:



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Gatos: dicas de cientistas para cuidar bem do seu pet

Leia Mais