Notícias

Por que o som de unhas raspando em uma lousa causa calafrios?

Compartilhe:     |  26 de janeiro de 2020

Poucos sons causam tanta irritação e provocam tantos calafrios como aquele estridente quando unhas raspam em uma lousa, ou quando garfos e facas cortam apenas o prato e panelas. Agudo, o som nem precisa ser muito alto para que as pessoas próximas façam verdadeiros contorcionismos na tentativa de minimizar o “estrago” que causam.

Mas porque esse som irrita tanto? Pesquisadores começaram a se debruçar sobre esse “mistério” ainda na década de 1980, quando D. Halpern, James Hillenbrand e Randolph Blake deram início aos estudos que tentavam descobrir os motivos pelos quais as pessoas do mundo inteiro odiavam tanto esse som.

Teorias, análises, contrapontos, muita coisa aconteceu desde que os três levantaram a primeira hipótese: a de que o som das unhas em uma lousa desencadeia no ser humano um reflexo inconsciente e automático de que está ouvindo um aviso. De acordo com a pesquisa dos cientistas, o som tem as mesmas frequências de um predador e que eram ouvidas por primatas em perigo.

Depois do primeiro estudo, outros se aprofundaram e reunindo informações de todas as pesquisas, a conclusão foi de que as pessoas odeiam o som de unhas em uma lousa por motivos biológicos. O som faz com que a amígdala seja ativada e interaja com o córtex auditivo do cérebro. Com isso, potencializa e cria uma sensação desagradável entre eles.

Os estudos apontam ainda que os sons são amplificados no canal auditivo a níveis desagradáveis. Por outro lado, um dos sons identificados como um dos mais agradáveis é o de um bebê rindo.

Pesquisa pode contribuir para entender melhor o autismo

Apesar de muitas pessoas enxergarem essas pesquisas como desnecessárias e até mesmo um desperdício de dinheiro, as descobertas podem ajudar a esclarecer, por exemplo, por que autistas são mais sensíveis a muitos sons provocando até mesmo pânico.

O ponto central para esclarecer essas dúvidas é a amígdala, responsável por inúmeras ações e reações, como a ansiedade, a capacidade de reconhecer rostos e o estado emocional através das expressões faciais, o papel fundamental que desempenha nas interações sociais, armazenamento de memórias que ocorrem em momentos emocionais e aversão a algumas coisas.

Portanto, os resultados das pesquisas sobre os motivos pelos quais as pessoas têm aversão ao som de uma unha raspando em uma lousa são apenas alguns registros que podem contribuir para algo muito maior, como estabelecer a relação entre as amígdalas de pessoas autistas e os aspectos do autismo.



Fonte: MEGAcurioso - ADRIELI EVARINI



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

PETA quer banir o uso do termo “animal de estimação” por ser depreciativo para os animais

Leia Mais