Notícias

Primeiro paciente com suspeita de ebola no Brasil é transferido para o Rio de Janeiro

Compartilhe:     |  10 de outubro de 2014

Um homem da Guiné, considerado o primeiro caso suspeito de ebola no Brasil, foi transferido nesta sexta-feira para o Rio de Janeiro, já se encontrando na unidade que vai monitorar sua condição de saúde em total isolamento.

Segundo informou o Ministério da Saúde, o homem foi identificado como Souleymane Bah, um missionário de 47 anos, e que chegou no dia 19 de setembro procedente da Guiné, um dos países africanos mais afetados pela doença, após fazer escala no Marrocos.

O paciente chegou por volta das 6h30 à Base Aérea do Galeão em um avião da Polícia Rodoviária Federal (PRF), seguindo os protocolos internacionais para o tratamento da doença. Agora ele está internado no Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas, centro de referência do país, que faz parte do complexo de laboratórios da Fundação Oswaldo Cruz.

As autoridades informaram que o homem apresentou sintomas de febre durante os últimos dois dias, embora não tenha tido hemorragia, apresentado vômito ou outros sintomas. Mas como se tratava de um país onde a epidemia de ebola está em seu ápice e desenvolveu os sintomas dentro dos 21 dias após sair da África, o caso foi considerado suspeito pelo Ministério da Saúde.

Souleymane veio para o Brasil na condição de refugiado e, de acordo com o documento expedido pela Coordenação Geral de Polícia de Imigração, ele pode permanecer no país até 22 de setembro de 2015.

O ministro da pasta, Arthur Chioro, e o secretário de Vigilância em Saúde, Jarbas Barbosa, concederão uma entrevista coletiva às 10h no Ministério da Saúde, em Brasília, para falar do caso.

O ebola só é transmitido por meio do contato com sangue, tecidos ou fluidos corporais de doentes, ou através do contato com superfícies e objetos contaminados. O vírus somente é transmitido quando surgem os sintomas.



Fonte: Revista Galileu



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Gatos: dicas de cientistas para cuidar bem do seu pet

Leia Mais