Notícias

Produtores reforçam renda com cultivo de banana e hortaliças nas Várzeas de Sousa

Compartilhe:     |  18 de junho de 2019

A produção de banana avança nas Várzeas de Sousa e no Perímetro Irrigado São Gonçalo, onde os plantios de coco decaíram durante os últimos anos em decorrência das estiagens prolongadas e da falta de água. Com o acompanhamento do Governo do Estado, por meio da Empresa Paraibana de Pesquisa, Extensão Rural e Regularização Fundiária (Empaer), vinculada à Secretaria do Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap), agricultores familiares investem na cultura e no cultivo de hortaliças.

Um desses agricultores, que sempre trabalhou com a plantação de coco, é José Gonçalves, do Perímetro Irrigado São Gonçalo, cujo coqueiral dele estava perdendo a produtividade. Aconselhado pelos técnicos da Empaer, foi buscar no cultivo do tomate uma outra alternativa de renda. São sete mil pés de tomate em um hectare de terra, seguindo tratos culturais que garantem uma produção agroecológica. “Isso nos tem permitido uma renda mensal, comercializando junto a uma indústria de polpas localizada na cidade de Sousa’, comentou o agricultor.

José Gonçalves informou que sempre trabalhou a produção de coco e nos últimos anos passou a trabalhar também com tomate motivado com a instalação de uma indústria de polpas. Já comercializou junto ao Programa de Aquisição de Alimento (PAA) e também vende parte da colheita do tomate nas feiras livres das cidades vizinhas.

Para executar suas atividades, seja com o plantio de bananeira ou no preparo do solo e os tratos culturais com o tomate, trabalham cinco pessoas em sistema temporário, principalmente no período da colheita. Ele utiliza o sistema de irrigação por gotejamento como forma de economizar água.

“Trata-se de uma agricultura de sobrevivência devido a queda da produção de coco”, comentou o técnico José Marques que, junto o outro técnico Iraildo Macedo, acompanha o agricultor José Gonçalves na sua atividade agrícola.

O agricultor cultiva banana de espécie Caxiola e Pacovan. São 3.600 pés. “A banana mantém o salário do produtor semanalmente”, comentou o técnico. Para ter todas as semanas produtos para comercializar, o agricultor realiza plantios de modo a nunca faltar produção para atender ao mercado.

Ele tinha uma área com dois mil pés de coco e lembrou que há algum tempo colhia 50 mil cocos a cada 40 dias. “É uma atividade que fazia com os produtores se mantivessem no campo, trabalhando e obtendo a manutenção da família”, comentou o gerente regional da Emater, Francisco de Assis Bernardino.



Fonte: Secom-PB



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Problemas de saúde mais típico das raças

Leia Mais