Notícias

Produtos químicos despejados no mar causam câncer agressivo em leões-marinhos

Compartilhe:     |  4 de fevereiro de 2021

Um câncer misterioso e agressivo está assolando a população de leões-marinhos da Califórnia. Uma investigação que teve início há 20 anos concluiu que a causa da doença devastadora são produtos químicos associados ao vírus da herpes. O Centro de Mamíferos Marinhos em Sausalito analisou a doença, conhecida como câncer urogenital, que matou quase 25% dos leões marinhos, e coletou amostras de mais de 300 mamíferos para o estudo.

A equipe examinou cada animal falecido e encontrou o herpesvírus Otarine-1 (OtHV-1) em tumores, junto com DDT e PCBs, ambos resíduos tóxicos, que foram associados ao câncer em outros mamíferos como a baleia beluga. O estudo também descobriu que leões-marinhos com maior concentração de produtos químicos tóxicos em sua gordura tinham maior probabilidade de ter câncer tomando conta de todos os seus órgãos.

Frances Gulland, cientista sênior do The Marine Mammal Center, disse ao Los Angeles Times: “Leões marinhos estão vindo para a praia, usando as mesmas águas em que nadamos e surfamos, comendo muitos dos mesmos frutos do mar que nós comemos. Eles estão predispostos ao câncer por causa desses altos níveis de compostos legados que ainda estão no meio ambiente – e nós também estamos expostos a esses produtos químicos”, alerta.

Foto: The Marine Mammal Center

O estudo publicado na revista Frontiers in Marine Science afirma que 18 a 23 por cento dos leões-marinhos adultos examinados após a morte nos últimos 40 anos sofriam de carcinoma urogenital. Este câncer é típico encontrado no rim, bexiga, testículos e próstata, e entre humanos e outros mamíferos.
Gulland e sua equipe estudaram 329 leões-marinhos coletados ao longo de 20 anos. Eles coletaram amostras de gordura, investigaram amostras cervicais congeladas e analisaram diferentes órgãos, que é onde encontraram os produtos químicos tóxicos e o OtHV-1.

Os pesquisadores descobriram que a maior manufatura de DDT dos Estados Unidos despejava produtos químicos fora da Ilha do Canal – um local privilegiado para leões-marinhos se reproduzirem e criarem seus filhotes. Padraig Duignan, patologista chefe do Marine Mammal Center, disse: “É extraordinário o nível de poluentes nesses animais na Califórnia. É um grande fator para vermos esse nível de câncer”, disse o pesquisador.

A equipe também descobriu que vários leões-marinhos que tinham câncer também tinham o vírus do herpes, o que os levou a associar a doença sexualmente transmissível à causa do câncer. “Este estudo de caso-controle de leões-marinhos da Califórnia fornece evidências de que a infecção por herpesvírus (OtHV1) é crítica para a probabilidade de ocorrência de carcinoma, mas, além disso, quanto mais altas as concentrações de contaminantes da gordura dos animais, maiores as chances de câncer”, concluiu o estudo.



Fonte: Anda



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Alimentação natural para cães: dicas e cuidados

Leia Mais