Notícias

Programa Cisternas atingido por corte de verbas. Semiárido teme novo apagão de água

Compartilhe:     |  30 de abril de 2019

O Programa Cisternas, criado para combater a insegurança hídrica no semiárido nordestinovem sofrendo cortes de até 95% no seu orçamento. Segundo o UOL, se em 2012 foram destinados R$ 1,38 bilhão – maior valor alcançado –, em 2017 o programa chegou ao piso, com R$ 52,5 milhões. Em 2019 e 2018, o orçamento foi o mesmo: de R$ 75 milhões, bem longe de uma recuperação.

Por isso, a Articulação do Semiárido (ASA) teme que a população enfrente um “apagão” de água. E contabiliza que, em abril, 343 mil famílias não têm qualquer fonte de abastecimento ou reserva de água. Ainda segundo a ASA, seriam necessários R$ 1,25 bi para zerar a fila de espera por cisternas que armazenem água para consumo humano. Para o consumo animal, necessário para a criação de gado para subsistência, por exemplo, seriam necessários investimentos de R$ 12 bi.

Com a extinção do Conselho Nacional de Segurança Alimentar, tudo o que diz respeito ao programa está em suspenso. “O espaço dessa interlocução [com o governo federal] era esse conselho. A definição de como seria usado recurso de cisternas sempre passou por lá, agora não sabemos mais como será”, disse Alexandre Pires, da ASA, para o site.



Fonte: Revista ihu on-line - Revista ihu on-line



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Primeiros socorros: o que fazer quando o seu pet precisa de ajuda

Leia Mais