Notícias

Programa vai distribuir suplemento alimentar para merenda de crianças em creches

Compartilhe:     |  5 de março de 2015

Com o objetivo de prevenir a anemia e a desnutrição infantil, o Ministério da Saúde lançou, o NutriSUS. Trata-se de uma iniciativa que prevê a distribuição de sachês de vitaminas e minerais, para serem misturados às refeições, a creches participantes do Programa Saúde na Escola (PSE). O complexo multivitamínico começará a ser utilizado na suplementação alimentar das crianças já no primeiro semestre deste ano letivo.

Na primeira fase do programa, a ideia é beneficiar pequenos de 6 meses a 4 anos incompletos. Os sachês são compostos de 15 micronutrientes e devem ser adicionados uma vez ao dia a uma das refeições oferecidas às crianças, diretamente no prato. O suplemento não altera o sabor do alimento, o que evita rejeição, é de fácil absorção pelo organismo e não causa irritação gástrica.

O consumo do sachê deve ser feito durante 60 dias e ter uma pausa de três a quatro meses. O ciclo deverá se repetir até a criança completar 3 anos e 11 meses.

No Brasil, estima-se que uma em cada cinco crianças menores de 5 anos apresentem anemia, sendo o problema mais frequente em menores de 2 anos. A expectativa é que a implantação do NutriSUS reduza esse índice. De acordo com o Estudo Nacional de Fortificação da Alimentação Complementar, feito pelo Ministério da Saúde em parceria com a Universidade de São Paulo, a suplementação reduz em 38% os casos de anemia e em 20% a deficiência de ferro após o uso do sachê em pó.

Anemia reduz a capacidade produtiva

Na região Sudeste, 1.233 creches participarão do NutriSUS. Segundo o ministro da Saúde, Arthur Chioro, o programa contribuirá para que as crianças brasileiras cresçam mais saudáveis.

— Para garantir o pleno desenvolvimento na infância, é fundamental fazer uma complementação com micronutrientes que permita o enfrentamento não somente da mortalidade, mas também das infecções, da desnutrição e da obesidade. Por isso, é um grande desafio garantir uma alimentação saudável e fortificada para as nossas crianças — avaliou Chioro.

A falta de micronutrientes nos primeiros anos de vida pode afetar o crescimento, provocar doenças infecciosas e respiratórias, levar à desnutrição e à morte, sobretudo nas populações com menor renda e nenhum acesso à alimentação adequada.

Já a anemia pode provocar danos ao desenvolvimento psicomotor. O problema prejudica o aprendizado, tanto na infância quanto na adolescência, e forma adultos com menor capacidade produtiva.

O NutriSUS está de acordo com a orientação da Organização Mundial da Saúde (OMS), que recomenda a fortificação com múltiplos micronutrientes para aumentar a ingestão de vitaminas e minerais pelas crianças. Cerca de 50 países usam essa estratégia ou estão em fase de implantação.



Fonte: Extra



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Lei que proíbe piercings e tatuagens em animais é sancionada no Distrito Federal

Leia Mais