Notícias

Projeto Aves da Chapada Diamantina valoriza as riquezas naturais por meio da arte

Compartilhe:     |  3 de maio de 2021

O Projeto “Aves da Chapada Diamantina – Arte e Preservação” é uma iniciativa da ilustradora Thais de Albuquerque e da ornitóloga Cristine Prates, e busca valorizar a biodiversidade dessa região serrana da Bahia. Juntas, as moradoras de Lençóis criaram uma linha de produtos que apresentam espécies de aves endêmicas e comuns da Chapada Diamantina, representadas por meio da arte.

A ilustração de cada ave vem acompanhada de uma de planta associada à sua ecologia. As pinturas em aquarela, assinadas por Thais de Albuquerque, foram feitas a partir de registros fotográficos de Cristine Prates em locais como Morro do Pai Inácio, trilha de Águas Claras e nos municípios de PalmeirasMucugê e na Vila de Guiné.

Cristine é também quem assina os conteúdos científicos das peças, que trazem uma breve descrição das espécies, seus nomes científicos e curiosidades. Um vídeo de apresentação do projeto também está disponível no YouTube e pelo IGTV de Thais de Albuquerque e Cristine Prates.

A bióloga lembra que a pandemia afetou muito o turismo de observação de aves, mas as duas não se deixaram abater: “as pessoas reduziram drasticamente as viagens para evitar a contaminação e, com isso, todos que trabalham com o turismo precisaram se reinventar. Utilizamos o tempo de trabalho em casa para investir em outros projetos e poder levar as aves de alguma forma para a casa das pessoas”.

Espécies

A série de produtos, lançada nesse Dia do Observador de Aves, 28 de abril, e, no ano de 2021, traz o beija-flor-de-gravata-vermelha (Augastes lumachella) e o gervão (Stachytarpheta crassifolia); o corrupião (Icterus jamacaii ) e o mandacaru (Cereus jamacaru); e o beija-flor-chifre-de-ouro (Heliactin bilophus) e crista-de-galo (Spigelia pulchella).

“O beija-flor-de-gravata-vermelha é considerado um símbolo da preservação na Chapada Diamantina, por isso fizemos questão de trazê-lo à primeira parte do projeto, que tem possibilidade de continuar e trazer outras espécies da nossa fauna e flora, que é tão biodiversa”, afirma Cristine.

Cristine Prates

ornitóloga (especialista em aves) mora em Lençóis há um ano e meio, local que escolheu para inaugurar sua agência de turismo de observação de aves, a Birding Chapada Diamantina. Desde 2013, Cristine trabalha em projetos de conservaçãopesquisa e turismo de observação de aves. Possui um acervo fotográfico de fauna e flora do Brasil incluindo espécies endêmicas, raras e ameaçadas de extinção. Apaixonada pela observação de aves, Cristine acredita que o Projeto Aves da Chapada Diamantina pode aproximar as pessoas da natureza por meio do conhecimento da fauna e flora local, além de ser uma importante ferramenta para conscientização e conservação ambiental.

Thais de Albuquerque

designer e pintora vive em Lençóis há quase 10 anos e tem vasta experiência nos mercados turístico e ambiental da Chapada Diamantina. Apaixonada por aves e ilustrações botânicas – como é possível conferir em sua página no Instagram – a artista especializada em aquarela retratou as espécies inspirada nos livros de ilustração científica. Sua experiência como designer ajudou na hora de desenvolver os produtos “já criei muitos produtos, mas criar uma linha específica com o tema da arte e da preservação juntas tem um gostinho diferente” diz Thais.

Produtos

Os produtos disponíveis são: gravuras tamanho A4 (21 x 29,7 cm), cartões-postaisadesivos e canecas de porcelana. “A variedade e a quantidade de produtos é bem limitada, pois nosso projeto é 100% independente, portanto quem tiver interesse, deve antecipar suas encomendas garantir seu exemplar em nossas páginas do Instagram: @thais.de.albuquerque e @birding_chapadadiamantina”, informa Thais.

“Pretendemos lançar outras coleções, inclusive de outros animais além das aves. Por enquanto ainda não decidimos quando porque é um projeto totalmente independente, construído só por nós duas. Vamos ver como será a aceitação e vendas para fazer o próximo lançamento. Inclusive, estamos a procura de lojas que tenham interesse em revender os produtos em outros locais do Brasil, visto que o frete saindo do interior da Bahia não é muito atraente. Estamos super abertas para parcerias, instituições que queiram se unir ao nosso projeto para dar maior amplitude na divulgação da arte da natureza. Também pretendemos lançar outros produtos com as estampas criadas também”, afirma Cristine.



Fonte: Eco Nordeste - Por MARISTELA CRISPIM



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Lei que proíbe piercings e tatuagens em animais é sancionada no Distrito Federal

Leia Mais