Notícias

Projeto de lei quer acabar com a dissecação de animais em todas as escolas da Califórnia

Compartilhe:     |  1 de março de 2019

A dissecação animal é uma técnica arcaica vinda de uma época em que os seres humanos pouco sabiam sobre a anatomia dos animais.

De acordo com a PETA, diversos documentos comprovam os vários benefícios dos métodos que não envolvem animais, como a dissecação digital.

A Califórnia se posicionou diante da crueldade cometida pela prática e apresentou um projeto de lei no qual todas as escolas teriam que substituir as atividades de dissecação de animais por métodos de ensino contemporâneos e humanos, de acordo com os padrões e melhores práticas da indústria.

A AB1586 foi introduzida na última segunda-feira (25) por Ash Kalra (D- San Vai ), acompanhada dos co-patrocinadores Social Compassion in Legislation, PETA e Physicians Committee for Responsible Medicine.

A compreensão popular da dissecação nas escolas é a dissecação de rãs e vermes. No entanto, uma pesquisa recente de escolas que exigem dissecação como parte de seus currículos de ciências inclui: porcos fetais, gatos, tubarões, carneiros e outras espécies. O uso desses animais pode ser numerado em centenas em todos os anos acadêmicos. Quando contabilizado na totalidade, fornece uma imagem mais clara do impacto fiscal nas escolas e do impacto que o abastecimento desses animais pode ter sobre o meio ambiente e os ecossistemas frágeis. As informações são do World Animal News.

“Aprender sobre anatomia nas escolas é uma pedagogia científica importante, mas a dissecção apresenta um impacto significativo sobre o meio ambiente e nossos frágeis ecossistemas. Avanços na tecnologia educacional ampliaram o acesso a essa importante metodologia instrucional científica sem depender de animais”, disse Kalra.

“Com o desenvolvimento de alternativas tecnológicas, a prática de ensino de ciência virtual e baseada em computador oferece métodos de ensino mais humanos que ajudam a preparar melhor os alunos para o ensino superior e carreiras em ciências.”

Judie Mancuso, fundadora e CEO da Social Compassion in Legislation, acrescentou: “O fato é que não precisamos colocar nossos jovens nisso. Existe uma maneira melhor e a Califórnia pode e deve passar para o uso mais moderno e aceito dos recursos de dissecação digital. Não há razão para qualquer estudante separar um animal ou ser exposto a formaldeído carcinogênico quando houver o software 3D de última geração disponível gratuitamente. Não apenas se livrar da dissecação é a coisa certa a fazer, como economizará dinheiro do contribuinte”.

Samantha Suiter, professora de Biologia e Gerente de Educação Científica da PETA disse: “A PETA ouve dezenas de estudantes que estão sendo obrigados a dissecar animais, seja com a ameaça de uma nota negativa ou com o percebido ostracismo de professores ou colegas”.
“O formaldeído é usado como conservante e também encontrado na fumaça do cigarro – é classificado como carcinogênico humano, e a exposição repetida a níveis baixos pode causar dificuldade respiratória, eczema e sensibilização da pele”.

Suiter continua: “A aprovação da AB 1586 encerraria a prática de dissecação animal sem depender de estudantes individuais para expressar suas preocupações éticas, quando eles não se sentissem à vontade para fazê-lo. Este é um passo em frente para a ciência, educadores, estudantes e animais”.

Iniciativas

Em Indiana, nos Estados Unidos, a deputada estadual Ragen Hatcher, D-Gary, tenta conseguir levar as escolas do estado por esse caminho.

Hatcher é autora do House Bill 1537 que, se aprovado, exigirá que todas as escolas públicas, charter e privadas de Indiana desenvolvam políticas e programas que forneçam uma alternativa à dissecação de animais para qualquer aluno que a solicite.

“É desumano matar animais apenas para o estudo”, disse Hatcher. “Especialmente hoje, há tanta tecnologia que podemos dissecar em uma tela e ter o mesmo impacto que se você fizesse isso pessoalmente. Essa é a coisa certa a fazer.”

A empresa Apple também já contribuiu para o fim da terrível técnica e lançou aplicativo para dissecação de sapos, que pode poupar milhares de vidas – o Froggipedia.

Criado pela Designmate, uma empresa indiana dedicada a softwares de aprendizado interativo, o aplicativo amigo dos animais dá aos usuários a capacidade de explorar o ciclo de vida e os detalhes anatômicos dos anfíbios sem causar danos.



Fonte: Anda



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Cadela cega explorada para reprodução é salva e se torna amiga de menino com deficiência

Leia Mais