Notícias

Projeto de sustentabilidade do Pnuma no Brasil continua após a Copa do Mundo

Compartilhe:     |  16 de julho de 2014

Diversas cidades no Brasil implementaram projetos de sustentabilidade durante a Copa do Mundo no país, entre eles certificação ambiental dos estádios e compensação das emissões diretas de gases de efeito estufa geradas pelo evento.

Os projetos foram coordenados por cinco ministérios, incluindo o de Meio Ambiente e o de Desenvolvimento Social e Combate à Fome, com apoio do Programa da ONU para o Meio Ambiente (Pnuma).

De acordo com o Pnuma, as ações combinam sustentabilidade ambiental, inclusão social e geração de renda.

As atividades coordenadas pelo Plano Operacional de Meio Ambiente e Sustentabilidade da Copa 2014 do Brasil incluem ainda programas em apoio ao turismo sustentável, produção de alimentos orgânicos e agricultura familiar. Outras iniciativas abordam a promoção da inclusão social de catadores de recicláveis.

Brasil modelo

Segundo o diretor-executivo do Pnuma, Achim Steiner, o programa da ONU trabalha “com esportes e meio ambiente há mais de 20 anos” e “colabora em trazer a questão ambiental para os grandes eventos”.

As ações envolvem gestão de resíduos e reciclagem, certificação e gestão sustentável das arenas, promoção da agricultura orgânica e sustentável, compensação e mitigação das emissões geradas no evento, além da campanha Passaporte Verde.

O chefe do Pnuma disse ainda que a “Copa foi só o começo” e que espera que “o Brasil se torne modelo para novos padrões de consumo e produções sustentáveis”.

Passaporte Verde

As ações envolvem gestão de resíduos e reciclagem, certificação e gestão sustentável das arenas, promoção da agricultura orgânica e sustentável, compensação e mitigação das emissões geradas no evento, além da campanha Passaporte Verde.

Lançada antes da Copa do Mundo, a campanha Passaporte Verde tem como objetivo promover o turismo sustentável no Brasil. A ação é coordenada pelo governo do Brasil juntamente com o Pnuma.

Produtos e serviços

De acordo com Achim Steiner, com esta campanha o Pnuma “disponibilizou informações para a tomada de decisão de consumidores e produtores, criando mercado para produtos e serviços mais sustentáveis” e fez “sua parte na Copa do Mundo do Brasil”.

Segundo a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, o “Passaporte Verde é um ganho muito grande para o turismo no Brasil” e ele permite ao país “trabalhar a agenda de consumo e produção sustentável em um novo patamar, junto com as Nações Unidas”.

A campanha Passaporte Verde continuará após a Copa do Mundo.



Fonte: IBahia



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Quetzal: uma ave bela e misteriosa

Leia Mais