Notícias, Sem categoria

Projeto entre estudantes da PB e dos EUA quer reaproveitar água da chuva

Compartilhe:     |  15 de agosto de 2014

Um projeto realizado em parceria entre estudantes da Paraíba e alunos de uma universidade da Carolina do Norte, nos Estados Unidos, quer tentar reduzir o problema da escassez de água nas casas de uma comunidade na cidade de Santa Rita, na região metropolitana de João Pessoa. A ideia do projeto é reaproveitar a água da chuva e reutilizá-la nas caixas de descarga das residências.

O sistema criado no projeto consiste em uma rede de calhas que recolhem a água escorrida dos telhados das casas e distribui para recipientes que funcionam como filtros, que separam a sujeira da água menos impura. Esta água filtrada segue para um tanque de nove mil litros que vai direto para as caixas de descarga dos vasos sanitários.

Os modelos pilotos do projeto foram instalados em três casas e em um centro de terapia de uma ONG na comunidade Santo Amaro, em Santa Rita. Segundo o professor de engenharia Normando Perazzo, o local foi escolhido por conta da carência de água na região. “Este sistema foi implantado aqui no sentido de amenizar um pouco deste drama. Fizemos uma aplicação em uma das casas para ver se desperta nas outras pessoas o interesse de continuar o trabalho”, disse o professor em entrevista à TV Cabo Branco.

Professores e estudantes de engenharia civil da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) se juntaram a um grupo de alunos de uma universidade na Carolina do Norte, nos Estados Unidos. Os alunos norteamericanos passaram cinco semanas em Santa Rita para acompanhar o projeto e ficaram contentes com o resultado. “A importância [do projeto] é providenciar este tipo de instalação hidráulica para pessoas que precisam deste abastecimento em períodos de estiagem”, disse o estudante de engenharia biométrica Justin Fu.

Márcio Santos, estudante de engenharia civil da UFPB explica que a parceria foi boa principalmente por unir alunos de várias áreas. “Teve uns estudantes da área de saúde que atentaram para alguns critérios que a gente não tinha pensado antes. De cada curso eles tinham opiniões diferentes que sempre vieram acrescentar ao projeto”, disse o aluno.

Para o professor Ulisses Targino, a ideia é dar continuidade ao desenvolvimento do sistema. “Após implantar todos os projetos, iremos montar um documento e entregar para os governos estadual e municipal para que, se acharem interessante, apliquem o projeto em todas as localidades da região, e não ficar apenas neste projeto piloto. Como não temos recurso suficiente para isso, iremos apresentar para que quem tenha mais recurso possa continuar”, concluiu.



Fonte: G1 - PB



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Como restaurar o equilíbrio intestinal de cães e gatos

Leia Mais