Notícias

Cartilha quer antecipar diagnóstico de transtornos de comportamento na infância

Compartilhe:     |  12 de novembro de 2014

Psiquiatras e pediatras estão começando a elaborar uma cartilha para médicos, com o objetivo de tornar cada vez mais precoce o diagnóstico de transtornos de comportamento como autismo e déficit de atenção e hiperatividade (TDAH) na infância. O pontapé inicial foi dado em janeiro, com a assinatura de parceria entre as associações das duas especialidades. No mês que vem, o II Congresso e IX Simpósio Brasileiro de Psiquiatria da Infância e Adolescência, que acontece dias 5 e 6 de dezembro na Santa Casa de Misericórdia do Rio, pretende estreitar ainda mais esses laços.

— Temos 15 mil pediatras no Brasil e 300 psiquiatras da infância e adolescência. Se conseguirmos capacitar 10% dos pediatras, já teremos muito mais profissionais em comparação com o que temos hoje — calcula o psiquiatra Fábio Barbirato, coordenador do departamento de Psiquiatria Infantil da Santa Casa de Misericórdia.

O presidente da Associação Brasileira de Psiquiatria, Antônio Geraldo, acredita que a detecção precoce, além de ajudar a acabar com o preconceito em relação aos doentes, ajudará os pediatras no dia a dia.

— Este é um sonho dos pediatras, que convivem com isso diariamente sem saber o que fazer — acredita. — Esta é uma forma de trabalhar com prevenção de saúde, já que será possível saber o que sinais como não dormir direito podem significar numa criança — exemplifica.

Com o objetivo de formar pediatras em psiquiatria da infância, ou fazer com que esses profissionais conheçam alguns marcadores que sinalizem os transtornos de comportamento, o congresso deve se tornar anual para atrair cada vez mais médicos. Este ano o evento tem uma grande novidade: um auditório exclusivo para pais e educadores tirarem suas dúvidas com os maiores profissionais do país durante os workshops que acontecerão na sexta-feira, dia 5 de dezembro. Serão várias palestras ao longo desse dia sobre diversos temas relacionados a TDAH e autismo, com abertura para perguntas. Inscrições pelo email [email protected] ou pelos telefones (21) 2524-8872 e (21) 2533-0118 das 13h às 18h.



Fonte: Extra - Viviane Nogueira



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

“Comida de humanos” pode até matar os pets! Veja os riscos dessa prática

Leia Mais