Notícias

Publicação orienta manejo seguro e sustentável do caranguejo

Compartilhe:     |  12 de agosto de 2020

Cartilha tem apoio das secretarias estaduais de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap) e de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh)

As informações de como manejar e transportar o caranguejo com toda segurança estão disponíveis  na cartilha “Manejo do caranguejo-uçá: o método de embalagem para o transporte sustentável” que tem entre os autores o sociólogo Patrik Passos, servidor da Secretaria de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap), que está cedido para a coordenação do Programa Raízes, da Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh).  Para obter a publicação gratuitamente é só apresentar, a partir desta segunda-feira (10) e até o próximo dia 31, dois quilos de alimentos. A troca pode ser feita em oito postos localizados em Belém, Castanhal, Bragança e Vigia.

A publicação tem o apoio do Governo do Estado através da Secretaria de Justiça e Direitos Humanos e da Sedap, além da Comissão Nacional de Fortalecimento das Reservas Extrativistas Marinhas e do Instituto Chico Mendes da Conservação da Biodiversidade (ICM-Bio).

O livro faz parte da série sobre protocolos de manejo dos recursos naturais do Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá, desenvolvido por Patrick Passos e conta as experiências realizadas nas reservas extrativistas marinhas do Pará.

Servidor estadual, o sociólogo Patrick Passos é coautor do livro que integra saberes populares e conhecimento científicoFoto: Ascom / SedapPatrick Passos explicou que o material é fruto de pesquisa realizada na antiga Sepaq (Secretaria de Estado de Agricultura de Pesca) que foi fundida com a então Secretaria de Estado de Agricultura (Sagri) em 2011 e se tornou a atual Sedap.

O sociólogo ressaltou que o livro é resultado de uma década de trabalho com o ecossistema manguezal, com populações tradicionais e com o recurso pesqueiro do caranguejo. “Quando começamos a trabalhar, sempre existiu um problema de mortalidade na fase embalagem de transporte”, ponutou o pesquisador.

“Começamos a trabalhar na parte técnica e unir associações, pescadores, populações tradicionais e pensar em uma forma de embalagem que unisse o conhecimento deles com a nossa parte de ciência, e acabou gerando esse material que se tornou um guia para outros técnicos observarem como funcionava a técnica de embalagem”, acrescentou.

Ele ressaltou que a publicação valoriza os pescadores e o lugar de fala deles que é o maguezal, de onde vem a produção e o sustento das famílias. “Cinquenta por cento do material é conhecimento dos pescadores, vem da base, brota do chão da terra”, destacou.

O material saiu primeiro, segundo explicou Patrick, em 2015, mas era bastante técnico. “Os pescadores compreendiam por entender e porque a gente fez difusão em mais de 100 cursos para quatro mil pescadores. Isso foi muito importante para difundir. Percebendo que ainda havia dificuldade lançamos uma cartilha sobre o saber do povo do manguezal que saiu em 2017 para 2018 e agora é reeditada, então, para nós, isso aqui é algo que o pescador conhece porque é um conto do dia a dia dele”.

O sociólogo ressalta a importância da solidariedade com as famílias de pescadores. “Recebemos dois mil exemplares e em tempo de pandemia, falamos com instituições e resolvemos que vamos fazer uma troca solidária e reverter para os pescadores que trabalharam conosco no processo de pesquisa nos municípios de  São João da Ponta, Tracuateua, Augusto Corrêa e Curuçá. A meta é arrecadar duas toneladas  e meia, e mandar para quem precisa”. Ele adiantou inclusive que a campanha deve beneficiar de 100 a 200 famílias dessas comunidades.

Confira os endereços para obter a Cartilha em Belém e interior:

Belém

Associação RARE do Brasil – Avenida José Malcher, nº 1094, no bairro de Nazaré, em Belém. Contato – 98441.3339 – Ana Célia – atendimento de segunda-feira a quinta-feira, das 9h às 12h e das 14h às 17h.

SEJUDH – Rua Vinte e Oito de Setembro, 339, no bairro da Campina, em Belém. Contato: 98100.7678 – Patrick Passos / 98115-1867 – atendimento de segunda-feira a sexta-feira, das 9h às 15h.

SEDAP – Travessa do Chaco, 2232, bairro do Marco, em Belém. Contato: 98110-2031 – atendimento de segunda a sexta-feira, das 9h às 15h.

Bragança

Instituto Nova Amazônia – INÃ – Rua Pastor Menininho Rei, 2 – Centro – próximo à Praça dos Eventos – Contato: 98283-9775 – atendimento de segunda-feira a sexta-feira, das 8h às 12h.

Castanhal

IFPA – BR-316, Km 61 – Saudade II – Cristo Redentor, Castanhal – Bloco C – Mestrado.

Vigia de Nazaré

IFPA Campus Avançado, em Vigia de Nazaré, PA-140, Km 55, Bairro São Cristóvão.

Alunos responsáveis pela divulgação e troca dos livros:

Curso: Recursos Pesqueiros

Contatos: Aldenora – (91) 98203-9929 / Leoni – (91) 99309-6668 / Andreza (91) 98550-4844 / Adicarla (91) 99907-8795.

São Caetano de Odivelas

Curso Aquicultura – Cassiane (91) 992794583.



Fonte: Agência Pará - Por Rose Barbosa (ASCOM / SEDAP)



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Gatos: dicas de cientistas para cuidar bem do seu pet

Leia Mais