Notícias

Reciclagem tem muitos caminhos para o lixo produzir um menor impacto na natureza

Compartilhe:     |  4 de novembro de 2019

O Instituto Akatu para o Consumo Consciente fez uma conta, a partir dos dados coletados pela Abrelpe – Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe): como cada brasileiro produz mais de 1 quilo de lixo/resíduos por dia, ao se considerar uma família de quatro pessoas, que mantenha essa produção diária ao longo da vida de todos os membros da família, somente essa família ocuparia quatro apartamentos de 50 m2 lotados até o teto somente com os seus resíduos. Segundo essa mesma lógica, cinco famílias precisariam de um prédio de dez andares somente para “guardar” os seus resíduos.

E quem é responsável por toda essa montanha de resíduos que vamos produzindo ao longo dos anos? A responsabilidade é solidária entre consumidor, fabricante e também pelo poder público, responsável pela coleta e destinação final.

Assim, para garantir menor impacto na natureza e também nos custos financeiros para toda essa cadeia, é importante recorrer aos já famosos 3R’s: Reduzir (o consumo e o desperdício), Reaproveitar (objetos, embalagens, roupas, itens eletroeletrônicos etc) e Reciclar (aquilo que não pode ser “reduzido” ou “reaproveitado”).

Coleta domiciliar

A cidade de São Paulo já conta com serviço de coleta seletiva porta a porta em seus 96 distritos que, nas zonas sul e leste paulistana, é feita pela concessionária Ecourbis Ambiental. Basta separar o material seco e reciclável todo em um único saco (papéis limpos, plásticos, metais) e colocar na rua com antecedência no dia da coleta. Para verificar o horário da coleta em sua rua, acesse: https://www.ecourbis.com.br/coleta/index.html.

O material coletado não só economizará espaço e dinheiro por não ocupar aterros sanitários, mas também vai contribuir com o sustento das famílias de catadores que trabalham nas 25 cooperativas atendidas pela Prefeitura: um trabalho social importante, para além da questão sustentável e de proteção ambiental.

Além desse caminho bem fácil, há várias outras maneiras de conseguir reduzir a quantidade de resíduos gerada e participar do encaminhamento de materiais para reciclagem de diversas maneiras.

PEVS

Além da coleta domiciliar, a Prefeitura de São Paulo também espalha pela cidade, em pontos estratégicos, Pontos de Entrega Voluntária (PEV’s) para a população depositar materiais recicláveis, como plástico, papel, vidro e metal.

Os PEV’s são grandes caixas verdes em forma de contêineres fechados com capacidade para 2.500 litros cada e são instalados em locais com grande fluxo e de fácil acesso ao público, permitindo também manobras de caminhões que fazem seu manuseio.

Todos são adesivados com informações do que pode e o que não pode ser depositado. É possível encontrar esses equipamentos em Ecopontos, parques, postos de gasolina e áreas públicas, sempre em locais que não atrapalhem o fluxo viário e de pedestres.

A Autoridade Municipal de Limpeza Urbana (Amlurb) informa que, ainda para 2019, está prevista a implantação de mais 1.500 cicleias, que são um modelo de contêiner de coleta seletiva e até 2020 é esperado a implantação de cerca de 4 mil PEV’s.

Madeira, entulho, estofados e lixo eletrônico

Algumas subprefeituras da capital contam com caixas para descarte de lixo eletrônico: aparelhos e suprimentos de informática, smartphones e celulares em geral, baterias e pequenos eletrodomésticos. Também há pontos de entrega em alguns parques da cidade, como Ibirapuera, Trianon e Lina e Paulo Raia.

E sobras de madeira e jardinagem? Madeira de móveis? Sofás e colchões? A Prefeitura recebe esse material em ecopontos espalhados pela cidade e está em fase final de planejamento um programa para reaproveitamento de madeira na cidade

Supermercados e pontos de venda

Várias redes de supermercados contam com “Estações de Reciclagem”, com contâineres para quem quer entregar material reciclável. Essas estações são especialmente interessantes para encaminhar garrafas e outras embalagens de vidro. Desodorantes e outros itens de higiene pessoal em aerosol também são recebidos.

Além dos supermercados, shopping centers, farmácias, grandes lojas de material de construção e padarias costumam também receber itens que não devem ser colocados nem no lixo comum nem destinados à coleta seletiva, como pilhas, baterias, medicamentos, tintas, lâmpadas, cartuchos de impressoras.

Também há coleta de óleo de fritura já usado – aproveite alguma garrafa pet para armazená-lo após o uso e lembre-se que um litro de óleo, se jogado na rede de esgoto, pode contaminar até 25 mil litros de água.

Consulte o site do seu supermercado preferido e confira que itens são aceitos em cada um deles se achar mais prático levar seus recicláveis toda vez que for às compras.
Descontos e brindes

A concessionária de fornecimento de energia Enel também participa de um programa de incentivo à reciclagem. Em diversos pontos da cidade, há máquinas que recebem embalagens como plásticos, Em algumas unidades, só são aceitos itens de plástico e metal, como latinhas e garrafinhas pet, em outros o vidro também entra. Veja os endereços em https://www.eneldistribuicaosp.com.br/sustentabilidade/Ecoenel.
As “Retorna Machines” da Triciclo também contabilizam o material entregue que pode ser usado como desconto na conta de energia elétrica ou outros programas de desconto: Bilhete Único, Cartão Bom, crédito em empresas de telefonia celular ou descontos em rede de livrarias.

Quem preferir ainda pode doar seus pontos para três entidades assistenciais parceiras da Triciclo e que, por sua vez, poderão usar os créditos recebidos em produtos ou descontos na energia. Acesse: triciclo.org.br para mais informações.

Também é possível buscar “brigadas” de itens de difícil reciclagem como materiais escolares (canetas, lápis, borrachas, apontadores), tubos de creme dental e escovas de dente, esponjas de limpeza, embalagens de cosmético e cápsulas de café de máquinas expresso.
É possível formar um time de consumidores e cadastrar-se no site terracycle.com.br. Depois, solicite sua etiqueta pré-paga no site, cole em uma caixa e envie o material gratuitamente pelo correio. Os valores arrecadados serão destinados a uma instituição sem fins lucrativos ou escola pública escolhida pelo time de consumidores.

Devolução nas lojas

Roupas que não podem ser doadas, pneus desgastados e outros produtos devem ser encaminhados em lojas relacionadas.
Na dúvida, aja como um consumidor consciente: procure o fabricante do item que quer descartar e informe-se sobre a forma correta ou opções de endereço de entrega.

Lembre-se que muitos itens podem ser reaproveitados por Ongs e instituições beneficentes e famílias carentes, desde que em bom estado e em funcionamento.



Fonte: Jornal Zona Sul



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Estresse passa do dono para o cachorro

Leia Mais