O lixo em questão

Recife lança programa Recicla Mais; ação incentiva a troca de lixo plástico por produtos reciclados

Compartilhe:     |  1 de agosto de 2020

 (Foto: Andréa Rêgo Barros/PCR )

Foto: Andréa Rêgo Barros/PCR

Na edição do Julho Sem Plástico deste ano, campanha que tem o objetivo de conscientizar para a redução do descarte irregular de plástico e importância da reciclagem, a Secretaria Executiva Inovação Urbana do Recife lançou o Programa Recicla Mais. A ação tem o objetivo de reduzir a poluição de material plástico nos rios, canais, barreiras e demais espaços públicos. As comunidades do UR-10, Alto José Bonifácio e Sítio São Brás, foram as primeiras a receberem a feira itinerante. O prefeito Geraldo Julio esteve no Sítio São Brás, onde conferiu um dos pontos de troca, que contou com protocolos de distanciamento e todos os cuidados sanitários.
“O Programa Recicla Mais, que nasceu dentro do Mais Vida nos Morros, é um programa de mudança de comportamento. A ideia é usar o lixo plástico para ser transformado em utensílios paras as pessoas. Através dessa ideia, de uma transformação feita por uma máquina, a gente transforma aquele lixo que estaria numa canaleta, nos canais, espalhados pelas cidades, no rio e até no mar, em utensílios domésticos como lixeiras, pãozeiras e banquinhos, faz com que esse material tenha utilização permanente e não seja despejado no meio ambiente”, explicou o prefeito.
Moradora do Sítio São Brás, dona Marlene Maia dos Santos, de 67 anos considerou a feira importante por causa da limpeza das canaletas e canais para a época de chuvas. “Acho muito importante, porque é para o bem e para a limpeza, das canaleta, dos canais e toda a poluição que é por causa de plásticos e garrafas, disse. Aqui mesmo na comunidade, aqui era um lixão e eu tinha meu ponto comercial e queriam resolver com um container e as pessoas não respeitam, jogam fora”, disse.
O Recicla Mais terá continuidade nos próximos meses e já tem planos para ampliar a feira itinerante para outras comunidades atendidas pelo projeto Mais Vida nos Morros. Parte do resíduo que está sendo descartado de forma irregular agora poderá ser transformado em soluções urbanas para o dia a dia da população. O programa Recicla Mais se estrutura em quatro eixos. O primeiro foca em criar incentivos e estímulos à população para mudança de comportamento. O segundo é a possibilidade de transformar o lixo plástico em produtos com valor agregado. O terceiro é a implantação de células ReciclaMais, em escolas e universidades. E o quarto  é o fomento à criação de um ecossistema de empreendedorismo e inovação através do UpCycling.
Outro importante incentivo se dará a partir do protagonismo das crianças, a exemplo de novas gincanas, como a que aconteceu em 2019, em 20 escolas da rede pública municipal do Recife. Com atuação dos professores, alunos e familiares, preocupadas com o meio ambiente, foram arrecadadas quatro toneladas de lixo plástico, reduzindo o impacto ambiental. Várias utensílios domésticos, como vasos, fruteiras, saboneteiras, já estão sendo produzidos, assim como alguns mobiliários urbanos, lixeiras ou assentos. O grande desafio será a produção de corrimão para utilização nas escadarias da cidade.
“A inovação dessa iniciativa não é somente o poder público fazer e estimular o Upcycling, que é uma técnica de reciclagem criativa transformando o lixo em produtos. Mas é criar uma estratégia de mudança de comportamento coletiva. O que queremos é que seja julho sem plástico, agosto e o ano todo. Que o recifense seja o grande protagonista dessa transformação”, destacou o Secretário Executivo de Inovação Urbana do Recife, Tullio Ponzi.
A produção do programa Recicla Mais está funcionando na Secretaria Executiva de Inovação Urbana, que adquiriu máquinas extrusora e trituradora de plástico, com pretensão de expandir esse quantitativo de máquinas para outros locais, como escolas e galpões de reciclagem. De acordo com a pasta, a ideia é trazer o cidadão para ser o grande protagonista, não só na separação do plástico, mas estimulando ele a desenvolver soluções e empreender, com o objetivo também de fomentar um ecossistema de empreendedorismo e inovação para soluções e negócios upcycling, a fim de gerar renda e inclusão, potencializando a renda das pessoas dos que já trabalham com materiais plásticos. Durante este mês de julho, a secretaria realizou o primeiro Laboratório de Inovação – Edição Julho sem Plástico, que surgiu para fomentar soluções urbanas, assim como criou um hackathon que trouxe várias soluções urbanas inovadoras.


Fonte: Diário de Pernambuco



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

“Comida de humanos” pode até matar os pets! Veja os riscos dessa prática

Leia Mais