Notícias

Recolhimento de biscoito liga sinal de alerta para pais de crianças com alergia a leite

Compartilhe:     |  21 de novembro de 2019

Comer um alimento sem saber que ele realmente contém um ingrediente alérgeno, como o leite, pode desencadear uma reação alérgica grave em pessoas que apresentem uma hipersensibilização à substância. Por isso, redobrar a atenção ao comprar um produto é de extrema importância.

Ontem, foi anunciado o recolhimento de pacotes do biscoito Fandangos sabor presunto por erro na embalagem. Os rótulos apresentavam a informação “Alérgicos: pode conter leite”, quando o correto é informar que o produto “contém leite”.

— O paciente pode ter sangramento intestinal, edema de glote, dor abdominal, coceira no corpo e diarreia. Além de poder piorar também a parte respiratória, agravando a bronquite asmática e a rinite, aumentando a secreção pulmonar — alerta Cleusa Maria Schinke Genn, médica alergista e imunologista.

As reações variam de acordo com o grau de sensibilidade que o paciente apresenta em relação ao ingrediente que desencadeia a alergia. Segundo Ana Paula Moschione Castro, membro do Departamento Científico de Alergia Alimentar da Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (Asbai), a maioria dos pacientes alérgicos à proteína do leite é liberada para comer produtos cujos rótulos apresentem a informação “pode conter”.

— Por isso, é muito importante que a embalagem apresente a informação correta. Se os pacientes comerem achando que “pode conter”, mas que na verdade “contém”, com certeza a maioria deles vai apresentar reação.

A alergia ao leite é comum em crianças, condição que normalmente some na vida adulta. Uma pessoa que desenvolveu qualquer tipo de alergia deve criar o hábito de ler os rótulos. A Academia Americana de Alergia, Asma e Imunologia recomenda que a embalagem seja lida três vezes: no momento da compra, na hora de guardar o produto e antes de consumi-lo.

— Esta recomendação existe porque pode acontecer de esquecermos de ler o rótulo na hora de comprar o produto. Seguindo esta regra, a chance de desencadear a crise alérgica diminui muito — diz Ana Paula.

Em caso de reação alérgica, é preciso seguir o plano de ação estabelecido pelo médico.

— O paciente deve usar o remédio recomendado para controlar os sintomas. Mas caso não leve consigo nenhum medicamento, a orientação é correr para um pronto-socorro — orienta Cláudio Ambrósio, alergista e imunopatologista.



Fonte: Extra - Evelin Azevedo



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Estresse passa do dono para o cachorro

Leia Mais