Notícias

Rio de Janeiro: aumenta casos de febre maculosa no interior do estado

Compartilhe:     |  16 de julho de 2014

A Superintendência de Vigilância Epidemiológica e Ambiental da Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro alerta para o aumento de casos de febre maculosa, no noroeste fluminense, onde ocorreram três óbitos: dois em Varre-Sai e um em Natividade, além de 85 casos suspeitos nos municípios de Natividade, Varre-Sai, mais de Itaperuna, Porciúncula e Bom Jesus do Itabapoana.

A febre maculosa é uma infecção provocada por bactéria e transmitida por um tipo de carrapato, popularmente conhecido como carrapato-estrela, que pode evoluir para formas mais graves. Após ser infectado, o indivíduo pode levar até uma semana para apresentar os primeiros sintomas da doença como: febre alta, máculas ( vermelhidão da pele), que originam o nome da doença, cefaleia, dores musculares, dores nas articulações e inapetência. A doença tem tratamento quando diagnosticada precocemente.

De acordo com o superintendente de Vigilância Epidemiológica e Ambiental da Secretaria de Estado de Saúde, Alexandre Chieppe, devido ao alerta e necessidade de efetuar uma avaliação mais profunda, técnicos da vigilância epidemiológica estadual e agentes municipais de saúde seguem fazendo coleta para análise do carrapato, que pode ser encontrado em cães, cavalos e capivaras.

Segundo ele, a febre maculosa é de difícil controle e existe a possibilidade de ocorrência de surto nas localidades notificadas, as secretarias já foram alertadas e à medida que novos casos vão surgindo serão feitas orientações específicas aos moradores e organizações de serviços médicos.

A população precisa se prevenir e adotar algumas medidas que podem evitar a infestação do carrapato. “Ao andar em áreas campestres, com mato alto, recomenda-se o uso de calças compridas, meias e botas para evitar o contato do parasita com a pele e, assim, a possível picada, além de roupas claras, que facilitam a visualização do carrapato”, disse Chieppe.



Fonte: Agência Brasil



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Como restaurar o equilíbrio intestinal de cães e gatos

Leia Mais