Notícias

Saíras, sanhaços, saís e tangarás formam a paleta de cores da natureza

Compartilhe:     |  13 de setembro de 2020

Saís, saíras, sanhaços, tangarás… O que estas aves têm em comum? Algumas espécies ocorrem em todo o território nacional e nem sempre são fáceis de avistar. É impossível não notar a beleza e o colorido dessas aves. De comportamentos peculiares, algumas são capazes de ingerir frutos desproporcionais aos seus tamanhos. Muitas fazem ninhos de formatos curiosos, sustentados por frágeis teias de aranha. Clique nas fotografias abaixo e saiba mais sobre essas aves de beleza sem igual.

 sanhaçu-frade (Stephanophorus diadematus) (Foto: Rudimar Narciso Cipriani)Sanhaçu-frade

SANHAÇU-FRADE
O macho tem vistosa coloração azulada e fêmea é mais opaca. A ave constrói ninho em formato de taça.

sanhaçu-papa-laranja (Pipraeidea bonariensis) (Foto: Rudimar Narciso Cipriani)Sanhaçu-papa-laranja

SANHAÇU-PAPA-LARANJA
Espécie mede 18 centímetros de comprimento. Ocorre em matas de galeria do sul de São Paulo até a Argentina.

 tangará (Chiroxiphia caudata) (Foto: Rudimar Narciso Cipriani)Tangará

TANGARÁ
Na época de reprodução, cerca de quatro machos se reúnem no alto de um poleiro para disputar a atenção da fêmea.

tiê-sangue (Ramphocelus bresilius) (Foto: Rudimar Narciso Cipriani)Tiê-sangue

TIÊ-SANGUE
A espécie é exclusiva do Brasil. Ocorre em matas baixas, bordas de florestas e até no ambiente urbano.

 sanhaçu-cinzento (Tangara sayaca) (Foto: Rudimar Narciso Cipriani)Sanhaçu-cinzento

SANHAÇU-CINZENTO
Espécie de corpo cinzento, ligeiramente azulado, é uma das aves mais avistadas no território nacional.

 sanhaçu-de-encontro-amarelo (Tangara ornata) (Foto: Rudimar Narciso Cipriani)Sanhaçu-de-encontro-amarelo

SANHAÇU-DE-ENCONTRO-AMARELO
O ninho tem formato de cesto aberto e é feito, geralmente, em grandes bromélias. Espécie ocorre no Sul e no Sudeste do País.

sanhaçu-de-fogo (Piranga flava) (Foto: Rudimar Narciso Cipriani)Sanhaçu-de-fogo

SANHAÇU-DE-FOGO
Na época de reprodução, fêmea aproveita o ninho da rolinha-roxa para colocar os ovos, verde-azulados com pintas pretas ou avermelhadas.

sanhaçu-do-coqueiro (Tangara palmarum) (Foto: Rudimar Narciso Cipriani)Sanhaçu-do-coqueiro

SANHAÇU-DO-COQUEIRO
Espécie costuma viver em casais e em pequenos grupos. Apresenta plumagem esverdeada e mede cerca de 18 centímetros.

Saíra-mascarada (Tangara nigrocincta) (Foto: Rudimar Narciso Cipriani)Saíra-mascarada

SAÍRA-MASCARADA
A espécie de plumagem colorida ocorre em capoeiras e cerrados no Pará, em Goiás e no estado de Mato Grosso.

Saíra-militar (Tangara cyanocephala) (Foto: Rudimar Narciso Cipriani)Saíra-militar

SAÍRA-MILITAR
Também conhecida como soldadinho, a espécie apresenta tamanho maior no Sul e menor no Nordeste.

Saíra-preciosa (Tangara preciosa) (Foto: Rudimar Narciso Cipriani)Saíra-preciosa

SAÍRA-PRECIOSA
A plumagem é composta por tons de verde, marrom e azul. Fêmea da espécie é menos colorida que o macho.

Saíra-sete-cores (Tangara seledon (Foto: Rudimar Narciso Cipriani)Saíra-sete-cores

SAÍRA-SETE-CORES
Ave é ativa durante o forrageio. Na época da reprodução, macho e fêmea constroem o ninho e escondem na vegetação.

 saíra-viúva (Pipraeidea melanonota) (Foto: Rudimar Narciso Cipriani)Saíra-viúva

SAÍRA-VIÚVA
Alimentação da ave é composta de frutos, insetos, incluindo borboletas, sementes e alguns tipos de ervas daninhas.

saíra-amarela (Tangara cayana) (Foto: Rudimar Narciso Cipriani)Saíra-amarela (Rudimar Narciso Cipriani)

SAÍRA-AMARELA
O macho da espécie se distingue pela coloração amarelo-dourada. A fêmea é mais pálida e não tem máscara no rosto.

 saíra-beija-flor (Cyanerpes cyaneus) (Foto: José Vantini Júnior/TG)Saíra-beija-flor ( José Vantini Júnior/TG)

SAÍRA-BEIJA-FLOR
Macho da espécie é azul, amarelo, verde e preto no período reprodutivo, mas depois volta a ter o tom esverdeado das fêmeas.

 saíra-de-papo-preto (Hemithraupis guira) (Foto: Rudimar Narciso Cipriani)Saíra-de-papo-preto ( Rudimar Narciso Cipriani)

SAÍRA-DE-PAPO-PRETO
No período reprodutivo, tanto macho quanto fêmea exibem plumagens de cores vibrantes. Fêmea tem a cabeça verde-oliva.

 saíra-douradinha (Tangara cyanoventris) (Foto: Rudimar Narciso Cipriani)Saíra-douradinha ( Rudimar Narciso Cipriani)

SAÍRA-DOURADINHA
A ave é conhecida também como douradinha e se destaca pela beleza da plumagem, que se sobressai na mata.

saíra-lagarta (Tangara desmaresti) (Foto: Rudimar Narciso Cipriani)Saíra-lagarta (Rudimar Narciso Cipriani)

SAÍRA-LAGARTA
Espécie ocorre em alturas elevadas, em grupos de 8 a 10 indivíduos, no Sul e Sudeste do Brasil. Frutas e insetos compõem dieta.

 saí-andorinha (Tersina viridis) (Foto: Rudimar Narciso Cipriani)Saí-andorinha (Rudimar Narciso Cipriani)SAÍ-ANDORINHA
O bico curto e a boca grande e larga permitem à ave capturar vários frutos de uma só vez, inclusive aqueles com grandes caroços.
saí-azul (Dacnis cayana) (Foto: Rudimar Narciso Cipriani)Saí-azul (Rudimar Narciso Cipriani)

SAÍ-AZUL
A ave, que nidifica entre a primavera e o verão, ocorre em bordas de florestas e campos por todo Brasil.

 Saí-de-perna-amarela (Cyanerpes caeruleus) (Foto: Rudimar Narciso Cipriani)Saí-de-perna-amarela (Rudimar Narciso Cipriani)

SAÍ-DE-PERNA-AMARELA
A espécie é conhecida também como tem-tem-do-espírito-santo e ocorre nas regiões Norte e Centro-Oeste do Brasil.

 saí-verde (Chlorophanes spiza) (Foto: Rudimar Narciso Cipriani)Saí-verde (Rudimar Narciso Cipriani)

SAÍ-VERDE
Espécie ocorre em bordas de florestas úmidas por toda a Amazônia e do Estado de Pernambuco até Santa Catarina.



Fonte: G1



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

“Comida de humanos” pode até matar os pets! Veja os riscos dessa prática

Leia Mais