Crônicas e Poesias

“Se não for por amor, será pela dor”

Compartilhe:     |  1 de novembro de 2014

Por Breno Grisi

Diz a sabedoria popular. E esta dor, agora, quem está sentindo é o “coração financeiro do país: São Paulo”. Agora, acredito, virão resultados; porque diante dos nordestinos chorando sobre o cadáver dos animais que morrem de sede…todo o país está acostumado a ver! Há até quem diga que  estão adaptados! ou, mais perversamente: já estão acostumados!!!

Vejam alguns trechos do relatório do Dr. Antonio Nobre, divulgado na quinta-feira (30) e acessem os links, do relatório e do vídeo. Não é “coisa de ambientalista nem de ecochatos”. É CIÊNCIA!!! Divulguem. Todo brasileiro precisa saber.

Trechos do relatório:

1) Como primeira ação, impõe-se a universalização e facilitação de acesso às descobertas científicas, que podem reduzir a pressão da principal causa do desmatamento: a ignorância.
2) Em segundo lugar, é preciso estancar a sangria da floresta, ou seja, zerar o desmatamento, a degradação florestal e o fogo já, com todos e quaisquer recursos e meios éticos possíveis, no interesse da vida. Ao mesmo tempo, em vista do diagnóstico de que desmatamento e degradação acumulados constituem-se no mais grave fator de dano ao clima, torna-se necessário e inevitável desenvolver um amplo esforço para replantar e restaurar a floresta destruída.
3) Enéas Salati liderou nos anos 1970 estudos observacionais de chuva e evaporação que demonstraram inequivocamente como, através da reciclagem de umidade, a floresta mantém o ar úmido por mais de 3.000 km continente adentro.
4) Vinte bilhões de toneladas de água por dia (= 20 trilhões de litros) são transpiradas por todas as árvores na bacia amazônica (o rio Amazonas despeja no oceano 17 bilhões de toneladas). Uma única árvore bombeia para a atmosfera 1000 litros de água por dia.
5) Desmatamento acumulado até 2013: 762.979 km2 (= três estados de São Paulo = duas Alemanhas + dois Japões = 12.635 campos de futebol desmatados por dia).

O Futuro Climático da Amazônia

O cientista e pesquisador Antônio Donato Nobre, do Centro de Ciência do Sistema Terrestre do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) lança nesta quinta, 30/10, o estudo O Futuro Climático da Amazônia, elaborado a pedido da Articulación Regional Amazónica (ARA).  O evento exclusivo para jornalistas é organizado pela Articulação Regional Amazônica (ARA), o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais – INPE, o Instituto Socioambiental (ISA), a Iniciativa Amazônia Viva da Rede WWF, o Instituto Centro de Vida (ICV) e o Observatório do Clima.

Confira o vídeo:

Clique aqui e acesse o relatório.

 

Fonte: Espaço Ecológico – Amazônia



Fonte:



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Considere aspectos individuais antes de sacramentar vínculo com animal de estimação

Leia Mais