Notícias

Se sentindo exausta? Veja como meditar ajuda a descansar a mente e o corpo

Compartilhe:     |  27 de setembro de 2020

Estamos cansadas. Esse é o desabafo de cada vez mais gente nos últimos meses. Ok, já havia uma epidemia de exaustão em curso antes de a covid chegar. Agora, àquela fadiga devida principalmente ao ritmo de vida corrido se soma o tsunami de mudanças que a pandemia trouxe ao nosso dia a dia – novos horários para tudo, alimentação desregrada, sono desregulado, mais tempo nas telas, altos níveis de stress… –, e tem muita gente se sentindo à beira de um ataque de nervos. Não é para menos. “A combinação de mudanças drásticas na rotina, acúmulo de funções (principalmente no caso das mulheres) e excesso de preocupação desencadeia uma série de alterações neuro-hormonais que desregulam o metabolismo e nos deixam mesmo sem energia”, explica a médica Indianara Brandão, especialista em medicina integrativa e diretora da Clínica First, em São Paulo.

A rotina com pouca ou nenhuma atividade física, outra queixa do isolamento, é ao mesmo tempo causa e conseqüência da sensação de esgotamento, já que os exercícios são uma ótima válvula de escape para a tensão. “Mais estressados e menos ativos fisicamente, é natural que a mente fique agitada, pensando muito. Cansar o corpo é importante para descansar a cabeça”, afirma a psicóloga Júlia Valdetaro, do Rio de Janeiro.

Os pensamentos são como matéria-prima das emoções. Para Fernando Gabas, empresário e idealizador do protocolo de meditação e expansão da consciência Life Matters, quanto mais reforçamos pensamentos ligados a medo, tristeza, raiva e impotência – o que é até normal diante do que estamos vivendo –, mais esses estados emocionais vão dominando nossa vida e acabam desregulando todo o sistema nervoso.

Reconhecer que não está bem é o primeiro passo para começar a sair da dinâmica de ruminação mental e esgotamento. “Fingir que está tudo bem só aprofunda o mal-estar; é preciso aceitar o sofrimento e, a partir daí, fazer algo para mudar. Senão, o que começa como um quadro de stress pode evoluir para um transtorno mental como depressão, ansiedade ou síndrome do pânico”, diz Júlia.

Na busca por estratégias para recuperar a calma e a vitalidade, a meditação vem ganhando cada vez mais adeptos. Não que seja fácil se tornar praticante assídua ou não haja cuidados a serem tomados. Para quem está em tratamento ou toma remédios psiquiátricos, por exemplo, o ideal é meditar com orientação de um profissional. Além disso, insistir em técnicas de meditação profunda ou começar com sessões muito longas pode acabar gerando um tipo de aversão à prática.

Os benefícios da meditação bem orientada, no entanto, compensam o esforço. “Quando você para tudo e volta a atenção para a respiração e as sensações do corpo, desacelera o fluxo de pensamentos e relaxa”, fala Fernando Gabas. “Com o tempo e a experiência, aprende-se a ter consciência dos pensamentos que vão surgindo na mente e a escolher não se identificar com eles, ou seja, não tomá-los como realidade.” Ele lembra, ainda, que existem várias técnicas meditativas de cultivo de emoções positivas, como gratidão, perdão, amor e compaixão, que podem ser boas para recuperar o equilíbrio emocional.

Precisando de ajuda para começar? Confira estas coordenadas.

_Tente definir um horário todos os dias para meditar. É uma forma de criar o compromisso e evitar a desculpa “não tenho tempo”. Para não ter risco de esquecer, ajuste um alarme ou deixe um lembrete em um lugar visível.

_Reserve um lugar tranquilo para se sentar, pode ser no chão, em uma cadeira ou na cama – o importante é ficar confortável, com os ombros relaxados e as costas e o pescoço alinhados. Se divide a casa com alguém, peça para não ser interrompida nesse momento.

_Comece contando as respirações por um minuto, sem manipular o ritmo das inspirações e expirações – apenas observe-as. Se perdeu na contagem ou em devaneios? Tudo bem; foque-se novamente na respiração e retome a contagem do início. Vá aumentando o tempo a cada semana. Você também pode se concentrar no movimento do abdômen enquanto respira, colocando a mão sobre ele se facilitar.

_Não se prenda a regras – apenas medite. Tudo bem não conseguir sentar em posição de lótus, não ter uma almofada própria ou um canto lindo com velas e incensos em casa. Tudo de que você precisa para começar é disposição e atitude.

_Aplicativos e meditações coletivas podem ajudar iniciantes no sentido de auxiliar a lidar com distrações comuns que surgem durante a prática, como inquietação, dor, coceira ou adormecimento em alguma parte do corpo, sonolência ou divagação. Veja o que funciona bem para você.



Fonte: Vogue - MARCIA DI DOMENICO



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

“Comida de humanos” pode até matar os pets! Veja os riscos dessa prática

Leia Mais