Notícias

Sebrae Paraíba apoia projetos que geram benefícios ambientais

Compartilhe:     |  6 de julho de 2014

A emissão de carbono (CO2) gerada durante a Feira do Empreendedor da Paraíba, realizada em maio deste ano em João Pessoa, será recompensada com o apoio a projetos que geram benefícios ambientais mensuráveis e passam por processos de verificação externa. A medida faz parte da política de responsabilidade socioambiental do evento, que recebeu o selo “Evento Neutro”, concedido a organizações e pessoas conscientes sobre o problema das mudanças climáticas e que fazem a compensação ambiental através de apoio financeiro a projetos de Reduções de Emissões por Desmatamento e Degradação evitados (REDD) e energia renovável, na mesma proporção do impacto ambiental.

Durante os quatro dias da Feira do Empreendedor(15 a 18 de maio), foram emitidos 149 toneladas de dióxido de carbono (CO2), provenientes do consumo de energia, combustível e resíduos gerados provenientes da montagem, realização e desmontagem do evento. A compensação foi realizada com a compra de 150 créditos de carbono do Projeto Florestal Santa Maria, no Mato Grosso, e da Central Hidrelétrica Salto Pilão, em Santa Catarina.

De acordo com uma das coordenadoras do Espaço Sustentabilidade na Feira do Empreendedor, Maria Elita Osawa, a iniciativa de quantificar e compensar o carbono representa o comprometimento do Sebrae Paraíba com o desenvolvimento sustentável e a preservação do meio ambiente do país. “Esse é mais um esforço que fazemos localmente para incentivar as iniciativas que impactam positivamente nossa comunidade. É muito gratificante poder apoiar e fomentar esse tipo de ação, que promove a conscientização e engajamento de toda a equipe, parceiros e clientes”, destacou.

A Feira do Empreendedor recebeu mais de 22 mil visitantes e bateu o recorde no número de visitas e atividades oferecidas nas cinco feiras já realizadas no Estado. Foram mais de 300 atividades gratuitas, entre palestras, capacitações, oficinas e apresentações culturais. Além disso, o evento disseminou e aplicou práticas sustentáveis durante os quatro dias, como estandes com aplicativos e vídeos interativos sobre sustentabilidade; a cenografia foi pensada para minimizar o consumo de materiais e deslocamento; as caravanas foram ainda mais estimuladas e o seu consumo de combustível foi mensurado.

Projetos apoiados

Para compensar a emissão de carbono e seus efeitos no meio ambiente, serão apoiados dois projetos que geram benefícios ambientais. O projeto Florestal Santa Maria está localizado em Colniza (MT), uma área que sofre intenso desmatamento. O projeto protege uma área privada de mais de 71 hectares de floresta tropical amazônica nativa, o que impede a emissão de quase 30 milhões de toneladas de CO2 em 30 anos. Na área, são conservadas mais de 1,2 mil espécies de fauna e flora e as águas do rio Aripuanã e Madeira. Também há a preocupação social, com a criação de 330 postos de trabalho, gerando renda e crescimento para a comunidade local.

O outro projeto apoiado é a Usina Hidrelétrica Salto Pilão, em Santa Catarina. O projeto consiste na construção de uma usina hidrelétrica que deverá reduzir a emissão de quase 300 mil toneladas de CO2 por ano, além de contribuir para a cota de energia renovável do país.

A neutralização de carbono é uma ação voluntária de responsabilidade socioambiental realizada por organizações e pessoas sobre o problema das mudanças climáticas. Seus principais objetivos são viabilizar economicamente projetos de desenvolvimento sustentável, educar, conscientizar e sensibilizar sobre causas e consequências das mudanças climáticas. Baseado no Protocolo de Kyoto, a neutralização de carbono é uma ação prática e legítima de responsabilidade socioambiental.



Fonte: Agência Sebrae de Notícias



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Como restaurar o equilíbrio intestinal de cães e gatos

Leia Mais