Notícias

Seca transforma área de pantanal em deserto no norte do Maranhão

Compartilhe:     |  3 de janeiro de 2015

Uma das piores secas dos últimos 50 anos está transformando uma área de pantanal em deserto, no Maranhão.

A seca interrompeu a navegação. E a pescaria virou um desafio perigoso no lamaçal que restou dos Banhados, no norte do Maranhão.

“As mãos são todas mordidas. Foi traíra que mordeu”, conta a pescadora Hermenegilda Pinheiro.

Homens e mulheres reviram a água barrenta para achar os cardumes que estão agonizando, sufocados pela estiagem.

“É uma renda para a família isso aqui. Aí a gente leva, consome isso aqui, uns vinte a mais dias”, comenta o pescador Paulo dos Santos.

Os rebanhos de búfalos – animais nativos das áreas alagadas – fazem longas caminhadas para matar a sede.

E os vaqueiros têm que usar a força dos braços para salvar o gado, que está morrendo de fraqueza.

Choveu abaixo da média pelo terceiro ano seguido no norte do Maranhão. Com isso a maioria dos lagos e rios da região secou. O que era um pantanal, se tornou um imenso deserto.

As inundações sempre fizeram parte do ciclo natural da região. A estação chuvosa, de janeiro a maio, forma um pantanal amazônico, com 20 mil quilômetros quadrados, no coração do Nordeste.

Segundo os meteorologistas, as condições atmosféricas no planeta estão mudando o regime de chuvas na região, o que acaba afetando diretamente o ecossistema.

A temperatura média na superfície do Atlântico Sul tem ficado abaixo da registrada no Atlântico Norte nos últimos anos. Isso fez com que a Zona de Convergência Intertropical, que é uma faixa de nebulosidade em torno da Linha do Equador, ficasse mais ao norte. Isso explica a falta de chuva no norte do Maranhão.

“Se nós tivermos o ano todinho de 2015 de novo abaixo da média, imagine somando com mais outros três, 2013, 2012 e 2014, o que pode agravar isso em termos de escassez de água e a situação socioeconômica dentro desta região do Nordeste”, aponta o meteorologista Gunter Reschke.

“O que vai acontecer é desaparecer as espécies, mudar para outras regiões. E as que se reproduzem na região vão morrer de fome”, explica um especialista.



Fonte: Jornal Nacional



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Gatos: dicas de cientistas para cuidar bem do seu pet

Leia Mais