Notícias

Segundo pesquisa, o Tiranossauro Rex não conseguia colocar a língua para fora

Compartilhe:     |  22 de junho de 2018

Braços curtos e línguas paradas: o retrato do Tiranossauro Rex fica curioso a cada nova descoberta realizada por paleontólogos. Um novo estudo realizado pela Universidade do Texas em Austin, nos Estados Unidos, em parceria com a Academia Chinesa de Ciências mostra que, por conta de sua estrutura óssea, o dinossauro não conseguia colocar sua língua para fora.

A ideia ocorreu aos pesquisadores durante análises de ossos hioides, que suportam a musculatura da língua, de diferentes espécies de dinos. Em estudo publicado no periódico científico PLOS One, a equipe envolvida explica que como os dinossauros são parentes de crocodilos e pássaros, comparar diferentes partes dos corpos dessas categorias faz sentido do ponto de vista científico.

A língua, por exemplo, é uma das partes que há muito tem sido deixada de lado pelos paleontólogos. Como resultado, as representações de espécies como a do T. Rex, por exemplo, têm sido erradas durante todo esse tempo. “As línguas geralmente são subestimadas. Mas muitas vezes dão pistas importantes sobre o estilo de vida de animais extintos”, disse o autor principal do estudo, Zhiheng Li, professor do Laboratório de Evolução Vertebrada e Origens Humanas da Academia Chinesa de Ciências, em anúncio.

Ao analisar imagens em alta resolução dos ossos de 15 espécimes, entre eles de pássaros e crocodilos, e compará-las com as dos tiranossauros, ficou claro que a estrutura das línguas dos dinos é mais parecida com a de jacaré e crocodilos. Isso quer dizer que são simples, menores e pouco móveis.

A descoberta muda a ideia que se tinha do físico dos tiranossauros: as línguas dos espécimes não se mexia ou fazia um movimento entre as mandíbulas deles. “Eles têm sido reconstruídos de maneira errada há muito tempo”, afirmou a pesquisadora Julia Clarke, que participou do estudo. “As línguas dos dinossauros extintos eram curtas. E os crocodilos têm ossos hioides parecidos, com a língua fixada na base da boca.”

Os cientistas observaram ainda que em outras espécies de dinos, como os pterossauros, por exemplo, há uma diversidade maior de ossos hioides — esses são mais parecidos com os pássaros do que os répteis.

 



Fonte: Galileu



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Lei que proíbe piercings e tatuagens em animais é sancionada no Distrito Federal

Leia Mais